Pai...
Deixaste-me só a saudade
teu riso, tua liberdade
teu jeito estranho de ser...
 
Eu sonhei com um gigante
foste um duende, meu pai
porém, com a mesma magia
que nunca encontrei igual.
 
Tenho uma dor incontida
da nossa triste despedida
que mesmo não parecendo
nós dois sabíamos... era o final.
 
Teus olhos me acompanharam
os meus não queriam ir
quando um dia eles voltaram
não mais te encontraram aí...
 
Onde estiver, se puder
guarde um lugar para mim
conto com o teu sorriso
quando daqui eu partir...

 

Tere Penhabe
Santos, 17/07/2005

 

 

 

 

Menu de Poesias

Principal

Assinar o Livro de Visitas

 


© Copyright 2005
por Terezinha A. Penhabe®
Santos . SP - Brasil
Todos os direitos reservados ®.
Não pode ser utilizado sem permissão do autor.
  

 

 

 

Poesias:

   A B C D E F G I J L M N O P Q R S T U V