Eu lembro desse encanto, quando o tive
parceira de andorinhas e canários
de dia, sobre as rainhas, a voar
de noite, um canto solo a entoar...

Era lilás a cor desses poemas, que saudade!
Creio que somos jovens até na eternidade
pois mal me sento nesse canto a repensar
e vejo a cor, os meus poemas retomar.

Falta, por certo, o seu sorriso tão sincero
que nas andanças pelo mundo, não achei
então meu canto cala-se sob o impropério
porque na vida, de você me separei.

Mas não se foram nossos temas, estão inteiros
mesmo que o verso não se atreva nunca mais
os que fizemos são eternos e serão sempre
tal como a vida, sempre belos, e a cor lilás.

 

Tere Penhabe
Santos, 25/10/2005_8:15 hs

 

 

 

Menu de Poesias

Principal

Assinar o Livro de Visitas

 


© Copyright 2005
por Terezinha A. Penhabe®
Santos . SP - Brasil
Todos os direitos reservados ®.
Não pode ser utilizado sem permissão do autor.
  

  

 

Poesias:

   A B C D E F G I J L M N O P Q R S T U V