de Tere Penhabe

 

Uma ou cem: escolhe quem as tem!
São muitas as faces do ser humano
a ostentar preconceitos, produzir enganos
ser essência do amor, ou ápice da frustração.

 

O mesmo olhar terno que nos afaga em carícias
um dia nos derrota com a chama de suas chispas.
A mesma mão estendida, que tanto nos conforta
dia chegará em que nos fechará a porta.

 

São tantas as faces, tão poucas as razões...
pautadas nas circunstâncias, no momento
a mesma brisa suave, nos apresenta em tormento
se existiu na alvorada, ao ter no ocaso é só vento.

 

Um dia foi recebida com pompas pelo coração
em outro, martiriza e aterroriza sem compaixão
faces diversas, diversas faces, que não se ocultam
pelo contrário, entre si disputam, lugar ao sol...

 

Como se fosse preciso, registrar inventário
usurpar o benefício da dúvida, cair o pano
mostrar além das máscaras, sem perspicácia:
- As muitas faces do ser humano -

 

Tere Penhabe
Santos, 05/02/2007

 

 

Menu de Poesias

Principal

Assinar o Livro de Visitas

 


© Copyright 2007
por Terezinha A. Penhabe®
Santos . SP - Brasil
Todos os direitos reservados ®.
Não pode ser utilizado sem permissão do autor.
  

 

 

    

Poesias:

   A B C D E F G I J L M N O P Q R S T U V