Uma homenagem ao escritor Mario Quintana.

Mário de Miranda Quintana nasceu em Alegrete, RS, a 30 de julho de 1906, filho do farmacêutico Celso de Oliveira Quintana e de D. Virgínia de Miranda Quintana.
Faleceu em Porto Alegre, no dia 5 de maio de 1994, com quase 88 anos.

 

Algumas declarações do poeta, Mário Quintana:

"Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo,
nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão."

"Idades só há duas : ou se está vivo ou morto. Neste último caso
é idade demais, pois foi-nos prometida a eternidade."

"Se alguém te perguntar o que quiseste dizer com um poema,
pergunta-lhe o que Deus quis dizer com este mundo."

 

Olho as Minhas Mãos
Mario Quintana

Olho as minhas mãos: elas só não são estranhas
Porque são minhas. Mas é tão esquisito distendê-las
Assim, lentamente, como essas anêmonas do fundo do mar...
Fechá-las, de repente,
Os dedos como pétalas carnívoras !
Só apanho, porém, com elas, esse alimento impalpável do tempo,
Que me sustenta, e mata, e que vai secretando o pensamento
Como tecem as teias as aranhas.
A que mundo
Pertenço ?
No mundo há pedras, baobás, panteras,
Águas cantarolantes, o vento ventando
E no alto as nuvens improvisando sem cessar.
Mas nada, disso tudo, diz: "existo".
Porque apenas existem...
Enquanto isto,
O tempo engendra a morte, e a morte gera os deuses
E, cheios de esperança e medo,
Oficiamos rituais, inventamos
Palavras mágicas,
Fazemos
Poemas, pobres poemas
Que o vento
Mistura, confunde e dispersa no ar...
Nem na estrela do céu nem na estrela do mar
Foi este o fim da Criação !
Mas, então,
Quem urde eternamente a trama de tão velhos sonhos ?
Quem faz - em mim - esta interrogação ?

    Participantes:

01- Giuseppe Martinelli
02- Tere Penhabe
03- Machado de Carlos
04- Diógenes Pereira de Araújo
05- Graça Ribeiro
06- Cel (Cecília Carvalho)
07- Marcial Salaverry
08- Lauro Kisielewicz
09- Augusta Schimidt
10- Joyce-Lu@zul
11- Regina Bertoccelli
12- Lu_guerreira:
13- Priscila de Loureiro Coelho
14- Regina Ribeiro
15- Wilson de Oliveira Carvalho
16- João de Abreu Borges
17- Mário Osny Rosa
18- Marise Ribeiro
19- Nelim Monti
20- Marici Bross
21- Pilar Casagrande
22- Margaret Pelicano
23- Célia Lamounier
24- Eme Paiva
25- Sueli do Espirito Santo
26- Roseli Busmair
27- Walter Pereira Pimentel
28- Vera Mussi
29- Efigênia Coutinho
30- Maria Aparecida Macedo
31- Eda Carneiro da Rocha
32- Cassia Vicente
33- Azoriana
34- Thais S Francisco "beijaflor"
35- Luiza Porto
36- Marisa Francisco
37- Nany Schneider 
38- Tarcísio R. Costa
39- Alfonsina Pais
40- Vilma Oliveira
41- Thereza Mattos  
42- Maria da Fonseca
43- Maria Augusta Christo de Gouvêa
44- Raquel Caminha_Lindinha
45- Valeriano Luiz da Silva
46- Rejane Pino
47- Aparecida Linhares (Serahnil)
48- Elainemalmal  
49- Maria Thereza Neves
50- João Carlos F. Almeida (Rother)
51- Lara Cardoso
52- Carminho Vasconcelos
53- Faffi
54- Rosa Magaly Guimarães Lucas
55- Lisieux
56- Carvalho Branco
57- M. Lourdes Brecailo
58-  Bernardino Matos
59- Maria Marquezin
60- Regina Sant'Anna

 

 

01- “As Mãos”
Giuseppe Martinelli

Mãos prendadas...
Mãos salvadoras...
Mãos consoladoras...
Mãos generosas...

Mãos...
Que prendadas são as mãos dos artesãos.
Que mãos salvadoras são dos médicos com o bisturi.
Quanto consoladoras são as mãos dos voluntários.
Qual generosas são as mãos das enfermeiras.
 
As mãos que pintam as paisagens...
As mãos que manipulam os remédios...
As mãos que levam conforto aos sofredores...
As mãos que limpam as feridas dos que tem chagas.
 
Mãos que escrevem musicas...
Mãos que tocam melodias...
Mãos que fazem sonhar...
Mãos que sabem afagar...
 
As mãos são as mesmas
Que salvam e que matam.
Do escultor que extrai vida do mármore
Ou do coveiro que nos enterra no fim da vida.
 
Guarapuava, 18/07/05

 

 

02- Minhas Mãos
Tere Penhabe
 
Mãos que embalam um bebê
ensinando-lhe a crescer
protegendo-lhe os passos
retirando-lhe embaraços.
 
Mãos que trabalham firmes
sem jamais reclamarem
buscando os meios que têm
para  um filho alimentar.
 
Mãos que se atormentam
querendo o rosto esconder
mãos que se desesperam
mãos que ninguém aperta.
 
Mãos que o lençol acolhe
quando a noite deita no mundo
e cansadas se recolhem
no silêncio mais profundo.
 
Mãos que procuram um rosto
mãos que escrevem um verso
mãos que a conquista busca
sem desistir, sem parar.
 
Mãos que se entrelaçam felizes
excitadas e contentes
porque a luz no fim do túnel
é uma verdade iminente.
 
Mãos que relaxam e pousam
numa carta de alforria
mãos que tiraram de campo
muitos craques dessa vida.
 
Mãos que vencem, se vangloriam
mãos que acolhem, que protegem
mãos que adoram as águas
e que um sonho ainda perseguem.
 
Encontrar um rosto amigo
que lhe queira uma carícia
mãos que olhos procuram
que de repente recuam.
 
Mãos que temem, mãos que fogem
mãos que procuram bolsos
mãos que perderam a coragem
mãos que dizem adeus!
 
Itanhaém, 25/03/2003

 

 

03- Tuas Mãos
Machado de Carlos

Belas mãos a preparar o doce veneno!
A eficácia das mãos, meu suave tempero,
Estático, ao deslize enquanto espero!...
Ah!...Mãos! Refiz a gula! Esmerado alimento!

Ah! Que mãos! Divago no meu mundo pleno;
Lindas mãos! Imagino o percurso... Não é mero.
Com as mãos, provas uma amostra. — Também quero!
Com o afago de tuas mãos, o caos fica ameno.

Tuas mãos, a cebola, as lágrimas... Radiante!
O silêncio... O deslize. A paz constante!...
Contemplo tuas mãos. O momento é profundo!...

— Ei! O gesto das mãos, uma emoção a contar!...
...Tuas mãos, nos meus cabelos... Ponho-me a chorar!...
Viajo nas tuas mãos... Meu portal para o mundo!

http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=187

 

 

04- As Mãos Não Mentem
Diógenes Pereira de Araújo

São nossas mãos um meio de extensão
da personalidade, na verdade
parecem ter - têm! - personalidade
autônoma, qual forma de expressão;

os gestos têm maior autenticidade
que algumas falas de sentido vão
que não convencem nunca porque são
destituídas de sinceridade

As mãos, porém, não mentem; são seus gestos,
quer usados no esforço do trabalho,
quer usados na arte para o talho,

a todo tempo são gestos honestos.
Até mesmo ao mostrar a nosa idade
as mãos não mentem; mostram de verdade.

diogenes@poemanetom

 

 

05- Mãos Amigas
Graça Ribeiro

No mar de  carências do mundo
Sejamos  piedosos
Enternecidos...
 
Mãos que trabalham no bem
Multiplicam afetos...
 
Mãos que reduzem carências
dão sentido ao  amor...
 
Que no oceano de carências da vida
Nossas mãos possam  repartir o pão,
Distribuir afetos e carinhos
Ser uma ponte para o coração...
 
As mãos são instrumentos de Deus
unindo contrários

 

 

06- Mãos
Cel (Cecília Carvalho)

... que afagam,
acariciam com o seu jeito de tocar,
que mudas não precisam falar,
mãos ansiosas, carinhosas,
que gesticulam sem chorar
cujos gestos mudos
são entendidos pelo olhar...
Que se tocam, se apertam,
numa linguagem muda
mas sentida pelo toque,
dizem adeus e um olá ...
Mãos que provocam,
apertam, fazem sonhar ...
que dão vida, causam a morte,
mãos que escrevem versos,
oferecem flores, fazem chorar ...
Mãos, minhas mãos
que eu estendo a voce
e digo vem prá cá !

 

 

07- Mãos Sinceras
Marcial Salaverry

Mãos que procuram amizade,
sempre encontram reciprocidade...
Amizade é o mais puro sentimento,
se doa até por pensamento...
Um quente aperto de mão,
sempre será um afago no coração...
Feliz daquele que a sabe transmitir,
sendo amigo sem precisar fingir...
Espalhar amizade,
eis a mais completa felicidade
que se pode almejar...
Venha minha mão apertar,
deixe-me te abraçar...
Com o carinho da amizade,
de nada mais temos necessidade...
Ofereça-me tua mão,
e terás meu coração...

 

 

08- Nossas Mãos
Lauro Kisielewicz
 
Mãos
que acenam,
que afagam,
e apontam caminhos...
 
Mãos
que agridem,
pegam em armas,
produzem a dor...
 
Mãos
que laboram,
e aprimoram,
tudo que já existe...
 
Mãos
que semeiam,
que fazem colheita,
alimentam o mundo...
 
Mãos
que abençoam,
que agasalham,
praticam o amor...
 
Mãos
que se juntam,
durante orações,
aproximando irmãos...
 
Mãos
que preparam remédios,
que distribuem drogas,
curam ou destroem...
 
Essas mãos, são nossas.
Nossas mãos, que devemos usar
com amor e solidariedade
para saciar as necessidades
de toda a humanidade,
partilhando com equidade
na missão de ensinar viver e amar!
Assim faremos, um mundo melhor,
Construído com nossas mãos!
 
Lauro Kisielewicz  =  29/MAI/2.005
lauro_kisie@linuxponta.com.br

 

 

09- Mãos...abençoadas sejam sempre
Augusta Schimidt
 
Mãos abençoadas...
Que acariciam
Mãos poderosas...
Que constroem
Mãos que consolam...
Que oferecem flores
Mãos que afagam...
Enxugam lágrimas
Mãos que falam...
Sem palavras
Mãos gentis...
Que colaboram
Mãos sutis...
Às vezes hostis
Mãos artistas...
Que pintam sonhos
Mãos que oram...
E imploram bênçãos
Mãos úteis...
Serviçais
Mãos unidas... abençoadas
Imploram a Paz
 
Campinas/10/07/2005_21.20hs
www.augustaschimidt.prosaeverso.net

 

 

10- Mãos...mãos de mulher
Joyce-Lu@zul

Mãos que afagam com ternura
Mãos ...ninam bebês em acalanto
Mãos que oferecem candura
Mãos de mãe que enxugam o pranto
 
Mãos do livro...do caderno e do giz.
Mãos abnegadas e até maternais
Mãos que as tive e muito fiz
Mãos de professora...nada mais
 
Mãos que vivem muitas eras
Mãos com rugas ou lisas
Mãos que escrevem quimeras
Mãos que as tenho...mãos de poetisas
 
Mãos que expressam compreensão
Mãos para o que der e vier
Mãos que tocam o coração
Mãos...mãos de mulher
 
19/07/2005-23:30

 

 

11- Tuas Mãos
Regina Bertoccelli

Que toque suave que tem as tuas mãos
Que afagam meu corpo cansado
Que  acena  sorrindo prá mim
Mãos sempre estendidas para o socorro
Que ao tocar meu rosto tem o aroma de flores
Mãos que se entrelaçam com as minhas
Em gestos de aconchego e acalanto
Mãos que conduzem, que orientam
Doce sensação que tem o toque delas
Que envolve meu corpo em abraços
Que me conduz na dança
E que  orienta meus gestos no ato do amor
Ah! quanta ternura.... quanto calor...

SP/Capital

 

 

12- Mãos...
Lu_guerreira

Mãos que tocam, mãos que acariciam
outras que batem!
mãos  estendidas pedindo
um pedaço de pão
mãos de mãe que seu filho  acalenta
mãos do médico que salva vidas
mãos que apontam
julgam, acusam... defendem...brigam
mãos sobre postas no leito de morte
mas também se unem para uma oração
mãos que adornamos   por vaidade
mãos preciosas que trazem  nas suas linhas
seu destino,  pois traz consigo o enigma
do  futuro...mãos lindas... uma perfeita criação
vamos usar nossas mãos para escrever,
assim fazendo com essa escrita
um mundo melhor um mundo de paz!
Quer você acredite ou ....Não!
Temos o mundo em nossas mãos...

 

 

13- Mãos que se encontram
Priscila de Loureiro Coelho

Que belo o encontro das mãos, 
que se unem movidas pela delicadeza de sentimentos
que se encontram como amigos em um caminho
que se juntam, e gentilmente misturam-se em suas emoções

Que bela a dança das mãos
onde os dedos se entrelaçam mansamente
numa performance de eterno carinho
no ritmo cadenciado de dois corações.

Ah!  A beleza de estar de mãos dadas.
Um gesto singelo de querer bem.
Como se as almas, estivessem atadas
de há muito tempo além...

Essas mãos que por minutos se aproximam
No toque mágico do amor
São as mesmas que sozinhas ficam
Na solidão e na dor.

Mãos que se distanciam lentamente
Aceno solitário em despedida
São mãos que outrora tão contentes
Mesclavam-se na essência da vida.

Há que se buscar urgentemente
Um antídoto para esta agonia
Posto que a união é inerente
Ao amor... que é a própria harmonia

 

 

14- Nossas Mãos
Regina Ribeiro

Do Martinelli
      peço as mãos salvadoras que manipulam os remédios.
Da Tere
      peço as mãos que embalam um bebê.
Do Machado
      peço as mãos que afagam para o caos ficar ameno.
Do Diogenes
      peço as mãos que não mentem.
Da Graça
      peço as mãos que reduzem carências dando sentido ao  amor...
Da Cecilia
      peço as mãos que provocam,  apertam, fazem sonhar ...
Do Lauro
      peço as mãos que se juntam, durante orações, aproximando irmãos...
Da Augusta
      peço as mãos unidas... abençoadas  que imploram a Paz
Do Marcial
      nada peço pois aceitei o convite :
      Venha minha mão apertar, deixe-me te abraçar...
      Com o carinho da amizade, de nada mais teremos necessidade...

www.corujando.com.br

 

 

15- Minhas Mãos
Wilson de Oliveira Carvalho
 
Benditas sejam minhas mãos
elas guardam todo o calor
a delícia de viajar
por todo teu corpo feito para amar
 
Benditas sejam minhas mãos
que depois de atender meus desejos
aguçam os teus sentidos
prá bailarmos nas fantasias de nossos sonhos
 
Maravilhosas mãos quantas vezes, não sei quantas
naqueles momentos de entrega total
acariciavam toda você
ânsia de meu eterno querer
 
Mãos que durante os nossos gritos
abrigavam teus seios, despertando
incentivando para as lutas multicores
onde, eu e você, sempre fomos os vencedores
 
Mãos carinhosas na madrugada
procurando a fonte dos desejos
e depois de conduzir o encaixe perfeito
descansavam agarradas no amigo peito
 
Enfim, mãos membros diletos
queridas mãos que escrevem poesías
que indicam o caminho para o bem
lembram afetuosas delícias de alguém...

 

 

16- Essas Minhas Mãos
João de Abreu Borges

Essas minhas mãos
que passaram por tantos gestos
que acariciaram tantos rostos
que se alimentaram de tantos astros

Essas minhas mãos
que sonharam por tantas terras
que atravessaram tantas guerras
que se lançaram por tantos morros

Hoje, repousam como um suave pássaro
que, embora um dia passe,
para sempre ficará na memória de Ícaro:
este que sou o que em ti é fácil.

 

 

17- Mãos
Mário Osny Rosa
 
Tenho duas, direita e esquerda.
A acariciar seu rosto em rubor,
Que você sente lisa como seda.
Jamais vai esquecer seu calor.
 
Quando sente sua aveludada maciez,
Quando no seu corpo passo toda vez.
Como se fosse uma mágica talvez,
Não trazendo nenhuma sordidez.
 
Lembra a cumprimento a cada dia,
Num aperto de mão com a direita.
A esquerda um tapinha nas costas,
Sempre em harmonia no dia-a-dia.
 
Sempre elas dão a maior alegria,
Nas festas, encontros familiares.
Em festas de gala e com euforia,
Apertos trocados entre os pares.
 
Grandes, pequenas a todos acenam,
Na despedida num dia de encontros.
Deixando saudades de coisa amena,
Belo dia, todos a via nos reencontros.
 
Florianópolis 20 de maio de 1.999.
morja@intergate.com.br

 

 

18- Simplesmente Mãos
Marise Ribeiro

Há mãos que amparam o surgimento da vida
são o esteio da natividade...
orientam, mais tarde, o equilíbrio
dos que começam a descobrir a realidade.

Também afagam e acariciam,
às vezes, até castigam,
são as de mães preparando o futuro
para que os seus na vida prossigam.

Há mãos que escrevem, desenham, criam,
são as mãos que transbordam arte
e que embelezam o espírito sofrido
com o dom a elas concedido.

Há mãos que falam, gesticulam,
são as mãos dos surdos-mudos...
os sentimentos com elas se articulam
traduzindo todo seu conteúdo.

As mãos, juntos com o olhar,
talvez comuniquem, em ênfase,
o que se fala, o que se sente,
muito mais do que o falar.

Rio de Janeiro (RJ) - 20/07/05

 

 

19- Mãos
Nelim Monti

Mãos que se estendem
Que é o meu tormento para uma carícia fina....
Que bom seria
Se as tivesse em minhas mãos a toda hora.
Longe da dor
Em lugar qualquer, onde  a ventura mora.

Mãos que ferem
E que beijo
Na hora triste da despedida.

Mãos que tremem
Que pousam suavemente dentro das minhas
Que fazem as minhas tremerem dentro das suas

Mãos que o trabalho e a igualdade exalta
Mãos que a luva de adeus  veste
Mãos, que seria minha glória poder viver
sob o julgo delas

Mãos ...que sob o afago morreria contente
Um beijo eu daria nas suas mãos
demoradamente.

Cajuru, 22/01/2005

 

 

20- Tuas Mãos
Marici Bross

Tuas mãos procuram as minhas
Num gesto de muito carinho
São mãos que afagam
São mãos que se querem bem

Trazem a brisa carinhosa
Desta amizade perfeita
Onde nos encontramos
Num momento de muita emoção

São mãos que se entendem
Num único tocar
É o carinho em forma de brisa
Que chega, afaga e consola.

São mãos bondosas
que colhem a lágrima
E acenam com alegria
Tudo é válido
Afinal as mãos expressam
Tudo o que desejamos

E assim é nossa amizade
Feita de amor, carinho
E muita emoção.

SP/Santos, 20/07/05_1:16h.

 

 

21- Mãos
Pilar Casagrande

Nossas mãos podem exteriorizar o amor,
construindo templos, escolas e hospitais;
alimentando famintos e medicando enfermos...
Podem assinar tratados de PAZ,
escrever livros, guiar carros,
pilotar aviões, varrer ruas,
tocar instrumentos musicais,
pintar telas, esculpir,
construir casas e móveis...
Para o mudo a mão é o verbo.
Para o idoso é a segurança.
Para o pedinte a mão estendida é súplica.
Para quem ama, a mão silenciosa,
que acolhe a do ser amado, é felicidade.
As mãos podem manifestar fraternidade,
ao lembrarmos da essencialidade do humano,
da sensibilidade, da empatia, estendendo-as a um irmão.

Rio Claro / SP

 

 

22- Mãos do Bem
Margaret Pelicano

Mãos apararam a criança,
e A enrolararm em panos,
mãos Dela cuidaram
mãos ao seio A levaram!

Mãos, a alimentar continuaram,
lavaram, acariciaram,
A fizeram crescer,
ensinaram-Na a ler.

Nas carícias, impediram o Seu ímpeto,
aliviaram os dias febris,
mãos amassaram o pão,
limparam a casa, lavaram os pés...

Mãos Dele cuidaram.
por Ele choraram,
secaram as lágrimas
da vida ao anoitecer.

Mão tiraram-No da Cruz,
mais uma vez O enrolaram nos panos do amor,
mãos com compaixão o carregaram,
mãos salvadoras, cuidaram de Jesus!

Muitas outras mãos, também são assim!
Amorosamente cuidando da Paz!
Outras, que pena! Ensanguentadas!
Levam mensagens malvadas,
contra a vida, algumas mãos assaz partidas...
pobres mãos que não evangelizam
não cuidam, não amam, no ar se desfaz!

Sejamos mãos caridosas,
mãos alegres, mãos que trazem vida,
mãos como as de Maria,
as dos apóstolos, as de São Lucas:
médico de homens e de almas!
Mãos que curam como Jesus!
Mãos... ao amor nos conduz!

Brasília - 20/07/2005

 

 

23- M ã o s
Célia Lamounier
 
Minhas mãos
que dançam quando falo
no dizer de sei lá quem,     
estão envelhecendo
perdendo a beleza
morrendo também.
 
Mãos de fada azul
com esmalte variado
cada semana uma cor.
Bonitas, elegantes,
leves, andarilhas...
minhas mãos de amor
 
Nasceram pequeninas
depois serviram muito
escrevendo  alegrias
fazendo carícias.
Hoje marcadas
por linhas e dias.

http://celialamounier.portalcen.org

 

 

24- Tuas Mãos Abusadas
Eme Paiva

Tuas mágicas mãos carinhosas
vêm rescindindo as rosas,
com as quais me cativas!
São feitas de afagos
tão plenas dos anseios
que provoco com meus beijos
a percorrer-me o corpo
acendendo delícias
aplacando desejos,
em toques macios
gentis,
se tornam ousados!
Teu toque abusado
em meu corpo inteiro!
...E, feliz!..

tão minhas
tuas mãos

 

 

25- Em Nossas Mãos
Sueli do Espirito Santo

símbolo da união
juntas, todos a postos
estendendo-as como a um irmão
na busca de um mesmo propósito

em todo trabalho bom desempenho
com habilidade, muita criação
obra de arte, poema ou canção,
varrer, plantar, em qualquer ação
tudo essencial, um ganho

em todos os amores presente
cuidados e afagos, proteção
afeto e carinho, aproximação
caricias e toques, sedução
energia para corpo, alma e mente

abertas ao outro em  doação
dadas um ao outro em perfeita devoção
aos céus, erguidas em clamor
a Deus uma oração
ao mundo mais amor.

http://www.sue2001.recantodasletras.com.br

 

 

26- Mãos Amigas
Roseli Busmair

Minhas mãos amigas
estão abertas para acariciar,
Afagar os cabelos e deslizar
em teu corpo inteiro.
Estas mãos amigas te esperam
todo dia, e ora estão vazias...
Elas sabem que tens a família
para te aconchegar,
Mas que falta o verdadeiro sentimento
do amor e entendimento.
Sabem que te falta o mesmo modo
de pensar, de ver a vida,
De lutar pelo mesmo objetivo,
direcionando o teu destino,
rumo ao sonho.
Minhas mãos estão sempre a espera
para te amparar,
Quando a desilusão,
a necessidade, a distância for maior e a
Saudade gritar mais alto
que todo o impedimento.
Mãos que te afagam,
mãos que tem saudade,
mãos que te direcionaram,
Mãos amigas que cozinharam,
deram remédio.
Te vestiram de forma a encantar
num palco e te ampararam para subir
E lá bem alto,
brilhar e encantar,
cantando só por elas...

Curitiba-PR-BR
Primavera_2000.
www.saladepoetas.eti.br

 

 

27- Mãos
Walter Pereira Pimentel

Perfumadas, sensuais, unidas...
Entregues a um frenesi de carinho
Um roçar atrevido e constante
Assim são as nossas mãos!
Quando dadas e entrelaçadas
Num contato carinhoso e excitante
Transmitem e recebem calor
Revestem-se de ousadia e de ternura
Levando o sangue a ferver, o coração
Descompassar num turbilhão de emoções
Que nos faz delirar e enlouquecer
Mãos ávidas por carícias, que se enchem
De malícia para desbravar nos corpos
Os caminhos voluptuosos do prazer!
 
19/07/05
wpimentel1@terra.com.br

 

 

28- Mão de Luz
Vera Mussi

Do Criador reluz a grande Luz !
Todas as mãos nos caminhos do coração ,
Nas orações , suplicam pelo Irmão,
À eterna divindade !

Abnegadas entregam
Cegamente
Todos os desejos ...
À Santa Vontade

Criou -se a grande felicidade
Sempre livre das utopias ,
Os sonhos e as euforias entregues
À Santa fidelidade  !

Dos céus todas as emoções
Da terra  todos os anseios ,
O pecado perdoado ,
À ressurreição divinizada !

A Mão de LUZ ... abençoada ,
Entrega a GRAÇA , a VIDA , o AMOR ,
Eternizados ,
À Sagrada Humanidade !

 

 

29- Tuas Mãos
Efigênia Coutinho

Suas mãos deslizam no meu corpo
com brios impressionantes,
alvas e leves - porque amantes,
teus dedos esguios me arrebatam
por duas vidas em dois fios
nos deltas de dois rios.
 
Que tuas mãos, sutis gaivotas,
dancem no meu corpo as lindas notas
de magia num coro de cotovias,
ou som de véus e de sentidos,
até chegar aos espaços mais queridos!!!
 
Sorriso é tudo o que me abunda
ao aninhar-me junta, e em ti escudo;
cada manhã te beijo fundo
e me deixo beijar na boca funda.
 
Prolonga assim o espaço no teu corpo
enquanto esponja absorta, o deixo morto.

Balneário Camboriú  - 2005
www.saladepoetas.eti.br

 

 

30- Mãos Incandescentes....
Maria Aparecida Macedo
"Maria Anjinha"

Mãos iluminadas!
Mãos que tocam o Infinito.
Que embalam a Luz da Paz.
Que dão alívio ao Ser Humano.
Mãos brilhantes abençoadas, por Deus.
Que embalam crianças!
Que sulcam a Terra, para nos dar alimento.
Mãos que transmitem o dom da
Cura Prânica.

Mãos que chegam e afagam o nosso Ser.
Mãos benditas que tocam o meu coração.
Mãos, que num pequeno gesto, te acaricia.
Mãos mágicas e carinhosas, que juntas
se formam um elo de amor, para te amar.

Araruama
21/07/2005

 

 

31- Tuas Mãos
Eda Carneiro da Rocha

Tuas mãos, quando me tocam
são o meu sacrário,
minha vida, meu amor!

Elas me falam,
me procuram
para o amor.

Pequenina respondo,
correndo ao apelo
de tuas mãos.
Minhas mãos que se tornam unas!

Para te ter, amor
eu as junto, suplicando à Virgem
que elas sempre estejam unidas,
nunca separadas, nunca desamadas!

Mão na mão,
como aquele beijo célebre
que ficou na história
"Romeu e Julieta"
que se beijavam
com as mãos espalmadas
e tudo podiam sentir,
até o frêmito do amor,
o canto da cotovia
que trazia toda a alegria
desse imenso amor!

Tuas mãos, meu sacrário,
onde deposito o meu viver,
hoje, amanhã e sempre
estaremos mãos espalmadas
beijando-nos até morrer!
que será um eterno viver!

 

 

32- Mãos
Cássia Vicente

Das mãos de um poeta
saem rabiscos
algumas vezes sensíveis
outras vezes agressivos
como comporta seu coração
naquele momento mágico...

Muitas vezes
as mãos de um poeta
encantam...
outras desencantam...

Mãos que suportam
lágrimas...
sorrisos...
incompreensão...
superam tudo e todos...
não suportam
ficar paradas...
ágeis...
delas brotam vida!!!

Jataí-Go/Julho2005
www.cassiavicente.ebooknet.com.br
http://spaces.msn.com/members/cassiavicente

 

 

33- As Mãos....
                   tuas
                          nossas
                                     minhas,

Azoriana

 
As mãos não são mudas,
abrem-se num coro de amigos
- de cinco mais cinco -

A pena toda é quando
o coro atiça armas e bombas
e sucumbem inocentes...

Que venham as Mãos Alegres!
- SEMPRE, de cinco em cinco -

http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt

 

 

34- Escrever sobre Tuas Mãos...?!? 
Thais S Francisco "beijaflor"
 
Não sei.. ando com a alma agitada,
coração disparado, que nem sei
como escrever sobre Tuas Mãos..
 
Pois meu desejo é de que
tuas Mãos estejam em mim, agora..sempre..
me acarinhando a face, acariciando meu corpo,
arrepiando meus poros, deixando a mostra todos
os meus desejos de entregar-me por inteiro a você.
 
Desejo em ter Tuas Mãos,
sem pudor algum, tocando  meu corpo,
levando-me ao êxtase,
e entre gemidos lânguidos de desejos,
sussurar ao teu ouvido,
vem Amor, entrego-me a ti, sou tua,
sem reserva alguma, sou tua.
Como uma gata no cio,
enlouquecida pelos desejos que me causam
Tuas Mãos em mim..!!
 
ts.francisco@uol.com.br

 

 

35- Mãos
Luiza Porto

Mãos, gestos de emoção
Como asas de um pássaro
na imaginação.

Mãos que matam
Mãos que curam
Mãos de soldado
de cirugião

Mãos que plantam
Que colhem
Os frutos benditos do chão

Mãos feridas
Mãos amigas
Pedindo um pedaço de pão

Mãos acenando na partida
Mãos postas em total oração

 

 

36- 'Mãonias'
Marisa Francisco

De mãos dadas
De mãos abanando
Com mãos benzendo
Com mãos conversando
Sobre mãos poetando

Com mãos poetando
Demãos de tinta no papel
Girando, girando...

Vivo sem mãos,
Mas não vivo sem letras...

 

 

37- Minhas Mãos
Nany Schneider          
 
Recebi o merecimento de ter mãos perfeitas,
Mãos que devo direcionar conscientemente.
Que eu saiba usá-las para espalhar o carinho,
Que delas, saia a escrita de poemas que elevem,
Que sempre estejam prontas a serem estendidas.
 
Recebi mãos saudáveis, quando muitos não.
Mãos que deverão sempre amparar,
Mãos que se dediquem à família e amigos,
Sem nunca escolher, sem nunca ver a quem.
Mãos que protejam os filhos amados.
Mãos que afaguem os animais, nossos irmãos menores,
 
Que seja sempre essa meta,
Mãos que saibam criar elos,
Mãos que acariciem o verdadeiro amor.
Mãos que juntas em prece,
Agradeçam a Graça concedida.
 
22/07/2005_05:28

 

 

38- Mãos
Tarcísio R. Costa

Mão, instrumento, executor
Da nossa mente,  do nosso coração...
Com o sinal da cruz, recebemos a bênção
Nas acaricia, recebenos o amor.

Juntas, falamos com Nosso Senhor,
Nos nossos momentos de oração,
Mão, instrumentos de ação,
Para aliviar a nossa dor.

Quantas vidas salvam o doutor,
Com as suas mão abençoadas
Nossas dores são aliviadas,
Na ciência, com amor.

Iluninai, Senhor, a nossa mente,
Para as nossas mãos serem usadas com amor
Para que sempre sirvam para aliviar uma dor
Que sejam, também, estendidas ao carente.

Brasília, 22 de julho de 2005

 

 

39- Las Manos de Mi Madre
Alfonsina Pais
 
En tus manos están
las caricias que yo ansío
son ellas las que yo admiro,
las que en  todo momento evoco.
 
Ellas conocen bien el trabajo
a ninguno se han negado,
han padecido duros frío
más siempre brindan calor.
 
Desde que llegué a este mundo
conocí el roce de ellas
siempre han sido como estrellas
son guías para mi vida.
 
Ellas me han enseñado
todo lo de esta vida
me han sanado dolores
y su aplauso ha sido estímulo.
 
Pasa el tiempo, suma años
más segura estoy de ellas,
siguen siendo las más bellas
son únicas, son las que amo
las que siempre me esperan
las que sanan y bendicen
las que consuelan y enseñan,
las que siempre están dispuesta
para abrazar a esta hija
que hoy y siempre,
tus manos Madre, cobijan.

 

 

40- As Minhas Mãos
Vilma Oliveira

Toma as minhas mãos nas tuas
As abençoa com amor paterno
Beija-as com amor eterno...
Guarda-as para ti: Puras e nuas!

Faça delas o teu maior abrigo
O porto mais cálido, mais seguro,
A lanterna que te conduz no escuro
O teu maior tesouro. Meu Amigo!
 
Se somos nessa vida navegantes,
Tu és meu Tudo, o Irmão, o Amante,
Nós somos a lenda dos ciganos;

O meu viver é cisterna profunda,
De águas turvas onde nunca afunda,
A mágoa eterna, meus desenganos!

http://meuautoretrato.blogger.com.br

 

 

41- Tuas mãos
Thereza Mattos 

Sinto de tuas mãos o calor
num aperto entrelaçado 
falando a linguagem do amor
e como estás apaixonado...
Teus dedos dedilham meu corpo
como se fosse um teclado
e as notas vão se unindo
num compasso bem marcado,
ouço em minha imaginação
uma doce e linda sonata
me levando a fascinação
de ser tua "enamorata"
vivendo a felicidade
de entrar em teu coração
por toda a eternidade.....

São Paulo, 21-07-05
http://www.planeta.terra.com.br/arte/magiaepoesia

 

 

42- As Mãos da Avó
Maria da Fonseca
 
Estas mãos que escrevem versos
Foram activas, saudáveis,
Sempre livres a actuar,
Quiseram ser responsáveis.
 
Quando foram pequeninas
Fizeram suas maldades,
Abelhudas e roliças,
Também tiveram vontades.
 
Cresceram perseverantes,
Continuamente em acção,
Quer nas tarefas da casa
Ou preparando a lição.
 
Quantos números e letras!
Toda a vida a trabalharem,
A servir o pensamento
E a nele bem se escudarem.
 
Na química se esmeraram,
Vocacionadas, felizes.
Nunca foram mãos de fada,
Mas honraram as raízes.
 
Sujeitas ao coração,
Sempre lhe foram leais,
Facultando aos mais pequenos
Cuidados especiais.
 
Agora são mãos de avó
Para rezar preparadas,
A pedir graças pra todos
Ao Bom Jesus levantadas.
 
http://geocities.yahoo.com.br/mariadafonseca2004

 

 

43- Mãos Vivas
Maria Augusta Christo de Gouvêa
 
vejo-as manchadas e rugosas
trazendo em cada marca
lembranças do labor
que ágeis desempenhavam.
 
lembro-as claras e lisas
enfeitando meus cabelos
ou colorindo meus lábios
sonhando beijos, ainda, não dados.
 
vejo-as acariciando o amado
cobrindo-o de carinhos
já com sonhos maternais
de afagar o fruto deste amor.
 
no lembrar os dedos delgados
tecendo rendas e embalando berço
vejo-as, hoje, contando saudades
marcadas pelo mais belo outono.

 

 

44- Mãos
Raquel Caminha_Lindinha

Sim, me lembram as mãos santas
de alguém querido.
Quando eu me machucava, aquelas
mãos santas me acariciavam.
Quando eu chorava,
aquela mãos amáveis me acalentavam.
Quando eu cantava,
aquelas mãos carinhosas
me aplaudiam.
Quando eu ia trabalhar,
aquelas mãos me acenavam
quase falando,
vai com Deus, minha filha
que eu fico aqui te esperando.

 

 

45- Mãos
Valeriano Luiz da Silva
 
Mãos em ação
Levando o pão
Atravessando o idoso
Em lugar perigoso
 
Mãos que amamenta
Mãos que acalenta
Mãos que esquenta
Mãos ferramenta
 
Mãos que ampara
Mãos que apara
Mãos com virtude
Aplaca a inquietude
 
Mãos que segura
Mãos que cura
Mãos que foi palavra
Do mudo que não falava
 
Mãos do pregador
Acenando ao pecador
Mostrando que o Salvador
Teve-as cravada na cruz com grande dor
 
Mãos benditas
Que cura a alma aflita
Mãos malditas
Que mata mesmo que a alma grita
 
Mãos que bem usadas
Serão abençoadas
Da pessoa amada
Por Deus amparada.
 
Anápolis Go, 22/07/05
valerianols@globo.com
www.albumdepoeta.com

 

 

46- Nossas Mãos
Rejane Pino

Nossas mãos,parte importante em nosso corpo
Mãos que lêem,quando não podemos enxergar
Mãos que deslizam nas teclas de um piano
a nos encantar com belas melodias
Mãos que escrevem seus mais secretos do coração,
nos envolvendo na magia de um poesia...
Mãos, ah!  Nada como sentir as carícias
das mãos de nossa mãe, quando estamos triste
Mãos que alimentam, fazendo delícias numa cozinha
Mãos amigas que se estendem, a nos ajudar a caminhar
quando não mais temos forças para continuar
Mãos amorosas que nos acaricia, nos levando às nuvens
em doces e ternos momentos de amor
Ah!  Nossas Mãos.

Miguel Pereira-RJ 23/07/2005 
http://rejanepino.blog.uol.com.br

 

 

47- De Mãos Dadas com o Coração
Aparecida Linhares (Serahnil)

Mãos, ao nascerem inocentes
exploram o mundo ao redor
para descobrirem o novo
são curiosas e puras mãos.
 
O tempo as faz crescer
e as mãos já não tateiam incertas
estendem-se com segurança
distribuindo rosas ou espinhos.
 
No traçado da vida  podem as mãos
criarem formas luminosas ou não,
tocar sem machucar uma flor
ou intencionalmente esmagá-la.
 
Mãos que afagam
Mãos que abençoam
Mãos que acenam sorrindo
Mãos que tristes dão adeus.
Mãos que confortam outras mãos
Mãos que ajeitam um laço de fita
Mãos que estendidas dão ou recebem
Mãos que imploram aos céus.
Mãos que curam
Mãos que armadas ceifam vidas
Mãos que Pôncio Pilatos lavou
Mãos que tudo podem.

Mas, as mãos são apenas mãos...
E por serem mãos,
as olhemos como um instrumento,
porque os gestos, dependem de cada coração.

http://www.usinadeletras.com.br/exibelotextoautor.phtml?user=Serahnil

 

 

48- Garras
Elainemalmal  

Estenda os braços
Entenda
Extensão de toque
Unindo
Indo das mãos
Radiando meridionais
Orbiculares de amor
Em mãos postas
Dentro
Fora
Aladas
Atando em nós

http://despudoradaalma.blogspot.com

 

 

49- Alma-poeta
Maria Thereza Neves

Letras vestem cores de sonhos
fantasias das mãos insaciáveis
envolventes
que brincam, amam e choram
no sombrio virtual vazio.

Magia que engana ,rompe janelas
em sinfonias sem direção
quebrando em pedaços vidas
restando cacos
das estrela em estilhaços no chão.

Artifícios e suplícios
das sílabas da alma poeta
que em enigmas
sussurram nas entrelinhas
sem importar os riscos
semeando dores ou paixões ..

JF/MG-26/06/05-24h04

 

 

50- Mãos de Luz
João Carlos F. Almeida (Rother)
 
Mãos maravilhosas que sabem tocar
Como um piano em teu corpo delicioso.
Mãos que aprenderam a amar
Esse teu corpo gostoso.
 
Mãos tremulas que vivem a sofrer,
Escondendo o torpor
No jogo que sabem não ter
No baralho da vida do jogador.
 
Mãos que seguram a caneta
Dos poemas que arquiteto.
Nem me considero um poeta,
Pois minhas mãos eu não aquieto.
 
Mãos que fazem a escultura
De amores que não são de ninguém.
Mãos que idolatram e amam a lua
Mas a desprezam com mofa e desdém.
 
Mãos que amam e fazem o impossível
Alem da inspiração do poeta para amar.
Elas conseguem dar o som ao surdo
E para os cegos voltarem a enxergar.

 

 

51- Mãos que falam
Lara Cardoso

Hoje vejo minhas mãos
enrijecidas, enegrecidas pelo tempo...
elas não podem sequer falar
dos carinhos feitos
que deixavam seus cabelos desfeitos
em meu doce afagar...

Se minhas mãos pudessem dizer
do carinho sentido ao amparar
o nascimento de um filho
o desvelo e o medo
de faze-lo sofrer...

Ah! se as mãos pudessem isso fazer
talvez pudessem contar
da doçura no toque de outra mão
e, se mais pudessem querer
fariam parar o tempo
no exato momento
em que entrelacei meus dedos
aos seus
no altar...

Mas ficam silenciosas
perdem a tonicidade
já não têm a mesma mobilidade
e, afastam receosas
cada lembrança de felicidade

E dizem as mãos,
mesmo que sejam mudas
da forma mais completa
pois, ainda que permaneçam quietas,
podem transmitir tudo o que vai no coração
e,em um simples toque, falam de verdade
e, choram,
quando encenam um adeus.

 

 

52- As Mãos
Carminho Vasconcelos
 
Mãos vermelhas, amarelas
mãos negras ou de brancura
desiguais na formosura
corre quente em todas elas
rio de sangue unicolor...
Rubro… na originalidade
da mão Divina em amor
preconizando igualdade
 
Porém... na diversidade
usa o Homem imperfeito
escolhendo a iniquidade
mãos que doem como pedras...
Ferramentas da maldade
mesmo brancas causam negras
nódoas no corpo e no peito
estigmas de infelicidade
 
Outras, para o bem guiadas
sua cor não é documento
todas elas incrustadas
de mármore-fraternidade...
Negras, são claridade
vermelhas, rubro calor
brancas, puro pensamento
amarelas, luz e amor
 
Mãos que enrugam de labor
moem, labutam na terra
secam ao fogo e no mar
para o sustento nos dar…
E as que sangram na guerra
para de paz nos sossegar
e as que velam com alor
para nossas feridas sarar
 
Outras mãos há, mais serenas
que nasceram para elevar
nossa alma, nossa mente…
De magia suas penas
seus olhos feitos sonhar
e seus dedos de voar
bordam palavras-semente
espalham poesia pelo ar

24/07/2005
Lisboa-Portugal

 

 

53- Mãos
Faffi

Mãos que se apertam,
Mãos que se cumprimentam
Mãos que enxugam lágrimas
Mãos que apontam o caminho
Mãos que ajudam na caminhada
Mãos que oferecem flores
São  mãos da amizade
Mãos que se procuram
Mãos que se acham
Mãos que acariciam
São mãos de apaixonados.
Mãos que carregam,
Mãos que embalam
Mãos que encaminham
Mãos que protegem
Mãos que acenam
Mãos que criam
Mãos que escrevem
Mãos que se juntam em oração,
Mãos que abençoam...
São mãos abençoadas
Mãos que apontam
Mãos que agridem
Mãos que ferem
Mãos que matam..
Essas não têm definição,
um dia terão de se juntar
para um pedido de perdão.

 

 

54- Rondel: Mãos
Rosa Magaly Guimarães Lucas
Eire
 
As mãos podem dar carinho
Quando meigas, carinhosas,
Mas ao nos dar adeusinho
Muitas vezes são maldosas...
 
Mãos foram feitas de rosas
Embora às vezes co’ espinho...
As mãos podem dar carinho
Quando meigas, carinhosas,
 
Sequer têm gesto mesquinho...
Por sorte há mãos poderosas,
Que acabam com o torvelinho
Do mal... São as mãos bondosas...
As mãos podem dar carinho
 
Jacaraípe, Serra, Espírito Santo, 24/07/2005

 

 

55- As Minhas Mãos
Lisieux

Olhando minhas mãos, paro, absorta,
sem entender para que elas existem.
Olho pra elas, paradas sobre o teclado,
como que pensando a próxima letra a apertar.
Minhas mãos... estão ficando feias, sem viço...
Antes, elas eram tão macias, tão ágeis, como asas...
Eram capazes de conquistar mundos, de abarcar sonhos,
de capturar coisas, de apertar sentimentos contra o peito.
Hoje, são impotentes. Escrevem... escrevem só...
Eternamente presas a este teclado de computador,
único meio de falar contigo, única forma de me comunicar. 
E a comunicação aqui, neste mundo virtual, é tão frágil...
tão esparsa, tão carente de sentido, às vezes.
Mãos não são completamente capazes de exprimir pensamentos,
que são velozes e loucos.
Não têm a capacidade de exprimir em palavras e frases,
em prosa ou verso, carta, ou email, o que sinto.
Não são capazes de enviar à distância certa
o pensamento certo, na intensidade correta.
Olho minhas mãos.
Extensão de mim, apêndices de meu braço.
Para que elas servem, meu amado?
Elas foram feitas pra tocar-te!!!
Apenas aprendi a utilizá-las há pouco tempo,
tocando-te, aprendendo-te, decorando-te.
Nas pontas dos meus dedos a suavidade da tua pele.
Na palma da minha mão, o calor da tua.
Com elas, percorri-te, desenhei-te, mapeei-te.
E nelas apreendi o teu ser e o "trouxe" comigo.
Com elas “falo” contigo e só em ti,
em tua face, em teu corpo, em teus cabelos,
nas pálpebras dos teus olhos,
as minhas mãos tomam vida e se aquecem.
Aqui, sobre o teclado, não.
São frias, paradas, sem vida, inúteis.
Para que servem?
Pra dizer-te coisas que  não compreendes?
Pra escrever-te versos que não entendes?
Emails que não respondes?
Cartas, exortações que tu, às vezes, nem lês?
Palavras... palavras só brotam delas.
Palavras aos borbotões.
Incapazes, coitadas, de exprimir o interior,
o recôndito da alma.
Incapazes de fazer-te entender, amado,
o quanto elas dependem de ti: 
pra falar de amor, pra falar de saudade,
pra falar de vida, pra falar de fé.
É... as mãos estão velhas.
A dona delas também.
Apenas servem, hoje, pra se unirem em oração.
Por ti, ainda por ti, amado meu.

BH - 30/07/03

 

 

56- Mãos
Carvalho Branco

Mãos... apêndice dos braços...
Mãos... que, do amar, nos entrelaços,
são o fecho de todos os abraços,
são regente e partitura,
são Arte e Literatura,
são, no amor, carícia pura...
Mãos de ternura!

Mãos de mãe... carinho, bondade...
segurança da maternidade...
Mãos de afago,
de cuidado,
de paz das águas mansas de um lago...
Mãos que seguram o cajado
do filho ou do enteado...
Mãos de proteção...
são apêndice do coração...

Mãos de Luz!...
Mãos de Maria, do Cristo, de Jesus...
Mãos que abençoam e carregam nossa cruz...
Mãos que a todos nós conduzem
ao Plano Superior....
a um viver no Amor....
a un voar mais alto que o condor...
Mãos que criam, reproduzem...
Mãos que iluminam a vida
e dão tonalidade colorida
aos amargores da lida...
Mãos de afeto...
são carinho, são teto...
São Céu aberto
para a alma ascendida...

 

 

57- Simplesmente Mãos
M. Lourdes Brecailo

Mãos... essência da expressão...
No gesto transmite...
Como o olhar...
O interior... o próprio sentir.

Mãos de carícias e afagos...
Mãos de violência e de dor...
Mãos que erguem os  fracos...
Mãos que empurram ao abismo.

Mãos que surrupiam...
Mãos que oferecem...
Mãos que destroem...
Mãos que agradecem.

Simplesmente... MÃOS.

 

 

58- Mãos Abençoadas
Bernardino Matos
 
Se os olhos são da alma suas janelas,
se a fala é a expressão do pensamento,
as mãos como duas lindas paralelas,
são da visão e da fala o complemento.
 
Mãos suaves e meigas quando o rosto,
do primeiro amor o afagam com ternura,
e expressam naquele momento o gosto,
de expressar com pureza essa doçura.
 
Mãos que se entrelaçam e com cuidado,
numa proteção mútua e com confiança,
transmitem a esperança no passo dado,
para caminhar na vida com segurança.
 
Mãos que, em nome de Deus, abençoam,
o compromisso d´uma união matrimonial,
e aquelas promessas de amor que ecoam,
perante todos, na beleza da paz celestial.
 
Mãos carinhosas quando transmitem,
as primeiras batidas do coraçãozinho,
de um filho que se comunica e sentem,
no afago os gestos de imenso carinho.
 
Mãos trêmulas de medo e apreensão,
na espera do nascimento de um filho,
são fortes as marteladas do coração,
e os olhos transmitem imenso brilho.
 
Mãos salvadoras na primeira acolhida,
de uma criança e que naquelas palmadas,
promovem o primeiro diálogo com a vida,
e o choro é de alegria pelas chances dadas. 
 
Mãos que acalentam os filhos ao deitar,
acompanhando os acordes das canções,
que ajudam o adormecer no doce ninar,
que transmitem nessa hora suas emoções. 
 
Mãos que ensinam os primeiros passos,
que cuidam daquela criança indefesa,
abrem caminho e protegem os espaços,
e cercam seu longo caminho de beleza.

Mãos que cobrem o rosto para esconder,
as lágrimas de tristeza e de sofrimento,
quando a incerteza à nossa porta bater,
face aos graves riscos de cada momento.

Mãos que ficam calejadas de tanta luta,
para darem à família conforto e alento,
que enfrentam na vida árdua disputa,
e que encontram no amor o lenimento.

Mãos que transmitem grande aflição,
em cada momento de uma despedida,
pois a incerteza de um feliz retorno,
sempre nos marcará em cada partida.

Mãos que suam diante de uma espera,
de um ente querido ou de um resultado,
seja de uma entidade que não coopera,
seja na expectativa de algo inesperado.
 
Mãos que fecham os olhos de alguém,
que encetou a caminhada de retorno,
e que nos encara comovido do além,
e saudade nos deixa o coração morno.

Mãos que praticam atos de violência,
que agridem, ferem e as vezes matam,
e que, num momento de raiva e demência,
destroem ternuras que o amor retratam.
 
Mãos que semeiam e colhem alimentos,
para o sustento de tantos seres carentes,
que socorrem banidos e  seus lamentos,
que conduzem cegos e até indigentes.
 
Mãos que indicam o horizonte a seguir,
que afastam pedras do longo caminho,
tal como Cristo costuma sempre ir,
à nossa frente nos enchendo de carinho.

Fortaleza, 27 de julho de 2005.

 

 

59- Mãos
Maria Marquezin

mãos
de cujas sombras
o mal se alastra
mãos que enganam
que são profanas
que a amizade
nunca terão...

mãos...
apenas mãos
que nunca pousam
no coração
que se estendem
não compreendem
que o amor é via
de duas mãos...

mãos...
insanas mãos
que ora insistem
ora persistem
ora agridem
ora flagelam
ora sufocam
ora martelam
sem piedade
o coração
do seu irmão...

elas são tuas?

 

 

60- Mãos
Regina Sant'Anna
 
Adequadamente ágeis a cada dom,
encantadas ao criar
deslizando suaves
como pássaros bailando
no azulado céu
sem peso, sem pejo
ao esculpir, escrever,
tocar, montar,
edificar, destruir...
Dançantes bailarinas
dando vida aos sons,
forma aos tons
transpassando o ar
em movimentos criativos
objetivos ou subjetivos,
independentes da palavra,
plenas de expressões.
Sutis no ato de amar
incitando o prazer
por caminhos de toques
leves e/ou selvagens.
Amparam, acariciam,
seguram, salvam,
curam, matam
sendo inocentes ou réus
guiadas pela sanidade
ou  pela insanidade
de quem comanda os atos
tornando-as às vezes santas,
outras vezes mundanas Mãos.
 
26/07/05

 

 

 

 

Voltar ao Menu "Ciranda de Poetas"

Principal

Assinar o Livro de Visitas

 


© Copyright 2005

Santos . SP - Brasil
Todos os direitos reservados aos autores ®.
Não pode ser utilizado sem permissão.