Álvares de Azevedo (1831-1852)
Manuel Antônio ÁLVARES DE AZEVEDO nasceu na cidade de São Paulo em 12 de setembro de 1831. Ainda criança transferiu-se com a família para o Rio de Janeiro, onde fez o curso primário. Em 1848, retornou a São Paulo e matriculou-se no curso de Direito.
Nessa cidade não se sabe ao certo como foi sua vida. Alguns dizem que viveu uma intensa e tumultuada vida boêmia, já outros falam que sua vida foi calma e serena. O que sabemos ao certo é que durante esse período sua produção poética foi muito intensa.
A partir de 1851 o poeta passa a ter fixação pela idéia da morte. Isso fica claro nas cartas destinadas à mãe e à irmã.
Em 25 Abril de 1852, quando tinha apenas 20 anos, Álvares de Azevedo morreu vítima de tuberculose, deixando uma obra relativamente extensa, para quem viveu tão pouco.
Álvares de Azevedo, representante brasileiro mais legítimo do mal-do-século, foi fortemente influenciado por Lord Byron e Musset. Sua poesia é marcada pelo subjetivismo, melancolia e um forte sarcasmo. Os temas mais comuns são o desejo de amor e a busca pela morte. O amor é sempre idealizado, povoado por virgens misteriosas, que nunca se transformam em realidade, causando assim a dor e a frustração que são acalmadas pela presença da mãe e da irmã.
Já a busca pela morte tem o significado de fuga, o eu-lírico sente-se impotente frente ao mundo que lhe é apresentado e vê na morte a única maneira de libertação.
De sua obra, toda ela publicada postumamente, destacam-se os contos do livro "Noite na Taverna" (1855), a peça de teatro "Macário" (1855) e o livro de poesias "Lira dos Vinte Anos" (1853).

 

Se Eu Morresse Amanhã!
Álvares de Azevedo

Se eu morresse amanhã, viria ao menos
Fechar meus olhos minha triste irmã;
Minha mãe de saudades morreria
Se eu morresse amanhã!
Quanta glória pressinto em meu futuro!
Que aurora de porvir e que manhã!
Eu perdera chorando essas coroas
Se eu morresse amanhã!
Que sol! que céu azul! que dove n'alva
Acorda a natureza mais loucã!
Não me batera tanto amor no peito
Se eu morresse amanhã!
Mas essa dor da vida que devora
A ânsia de glória, o dolorido afã...
A dor no peito emudecera ao menos
Se eu morresse amanhã!

 

 

     Participantes:
    (em ordem alfabética)
     

21- Adailton Guimarães
56- @liosh@**/CIG@N@**
44- Anna Peralva
35- Antonio Cícero da Silva
84- Antonio Manuel Martins Miguel
19- Arianne evans
71- Arlinda Lamêgo
02- Augusta Schimidt
78- Avany Morais
51- Azoriana
58- Bernardino Matos.
39- Branca Tirollo
52- Carmo Vasconcelos
14- Ciducha
76- Cristina Oliveira
64- Denise  Figueiredo
73- Deth Haak
03- Eda Carneiro da Rocha
16- Edméa Barsotti
49- Eire
29- Elaine
11- Elainemalmal
79- Elisa de Andrade
48- Elizabeth Assad
68- Eme Paiva
05- Eugénio de Sá
31- faffi/Silvia Giovatto
12- Fátima Irene Pinto
83- Fátima Mello
36- Fatyly
77- Fernanda Pietra
30- Francisca Silva- Chicailheu-
18- gina
15- Gislaine Canales
93- Gleici Keli Soares.
04- Gui  Oliva
32- Helô Abreu
53- Heloisa Abrahão
17- Inês Marucci
22- Isabel Fontes
69- Jamaveira
37- João Carlos (Rother)
27- Jorge Linhaça
74- Kátia Lessa
91- Laura Limeira
20- Lígia Antunes Leivas
09- Lílian Maial
55- Lúcio Reis
26- Lu_guerreira
54- Luiza de Marillac
72- Luiza Porto
80- Machado de Carlos
28- Marcial Salaverry
34- Marcos Milhazes***
45- Margaret Pelicano
07- Maria Anjinha
65- Maria da Fonseca
85- Maria Granzoto da Silva
75- Marilda Conceição
41- Marineusa Santana
13- Mário Osny Rosa
94- Maurício Santanelli
24- Milamarian
42- Milla Pereira
87- Muriel Elisa Távora Niess Pokk
63- Naidaterra
43- nancy pimentel
70- Natália Vale
23- Nilton Nallim Ferreira
25- Olga Maria Dias Ferreira
62- Patricia Montenegro
46- Pedro Valdoy
89- Pilar Casagrande
88- Priscila L. Coelho
59- Raquel Caminha
67- Regina Bertoccelli
81- Regina Coeli Rebelo Rocha
10- Rosângela do Valle Dias
66- Rose Arouck
08- Sandra Ravanini
50- SCassal
57- Schyrlei Pinheiro
40- Soaroir Maria de Campos
82- Socorrinha Castro / florzinha 
33- Sueli do Espírito Santo
90- Suzy Lima
38- Tarcísio R. Costa
01- Tere Penhabe
61- Tião Luz
92- Victor Jerónimo
06- Vilma Oliveira
86- Vyrena
47- Vuch@
60-  ZecAdi = josé de avelar

 

01- Se eu morresse amanhã...
Tere Penhabe

Se eu morresse amanhã...
talvez não entendesse a escolha do momento
talvez um maremoto se formasse em meu pensamento
mas eu iria bem, para o lado de lá...

Mas não iria só...
levaria dentro deste coração quebrado, remendado
o carinho que alguém me deu um dia, num dia feliz
não o abandonaria jamais...

Se eu morresse amanhã...
não deixaria lágrimas para trás, ninguém pra chorar
nenhum outro coração ia lamentar a perda, sentir
mas não faz mal...

Uma das melhores lições...
que eu aprendi pelos tropeços dessa vida, meu quadro
um quadro mal feito, mal pintado, mas muito amado
foi não sofrer demais... nem de menos.

Se eu morresse amanhã...
levaria comigo uma sensação boa de muita paz, saudade
não posso negar em momento algum, da vida ou da morte
morreria feliz!

E se alguém dissesse...
lá vai ela, uma aprendiz que amarfanhou versos aqui na terra
não estariam mentindo, mesmo assim seria bem vindo
um silêncio sutil...

Santos, 14.09.2006_21:30 hs

02- Se você morresse amanhã
Augusta Schimidt
 
Se você morresse amanhã
Lágrimas me banhariam o rosto
De Saudades... de tristeza
E sei bem...
Sentiria um enorme desgosto
 
Mas,
Se você morresse amanhã
Levaria dentro do coração
Minha amizade e admiração
A lhe fazer companhia
Pela eternidade
 
Se você morresse amanhã
Eu diria...
Lá vai ela, uma poeta
Que fez versos aqui na terra
E encantou corações
 
Lá vai a poeta
Na carruagem dos anjos
Encantar as estrelas
Com suas poesias...
 
Campinas/13/09/2006_22.30h

http://geocities.yahoo.com.br/coletaneadosaber_05

03- Se Eu Morrer Amanhã!
Eda Carneiro da Rocha

Se eu morrer amanhã amanhã
quero te ter hoje,
te conhecer
e te amar.

Quero levar de ti,
os beijos que não troquei,
as carícias que não tive,
os abraços
que não dei.

As madrugadas que não vivi,
a cama vazia em que acordei,
sentindo-te contra mim,
me procurando sem te achar,
pois não estavas ali.

Estava a te procurar tanto
que passei pela vida e não te vi.
As lágrimas que verti,
os olhos cansados
olhando o infinito,
e vendo só a ti.

Se eu morrer amanhã,
quero a certeza
que te tive um dia,
para poder contar
aonde for
que foste meu
uma vez,
um minuto,
que não deu nem para um beijo,
pois estava tão perdida
que me perdi neste minuto.

Amando-te desta maneira,
passei pela vida
e nada vi,
pois só via a ti.
Nada mais procurava,
nem a ti achava...
Na minha loucura de te amar,
perdi a noção do tempo.
Te perdi
dentro de mim,
pois nunca o tive.

E, continuando essa busca,
se eu morrer amanhã,
serei feliz!
Te procurei,
não te encontrei
mas só te amei!

http://www.albumpoeticoeda.com.br/

04- Derradeira despedida
Gui  Oliva
 
quero despedida de bem-aventurança
desejo aos que ficam que relembrem
apenas o que deixo como boa relembrança  
 
que por favor esqueçam todos meus defeitos
e perdoem as tantas e tamanhas vezes
que os fiz ou os deixei tão contrafeitos
 
ria muito das minhas doidices e tolices
aquele que se achar da alegria um aprendiz
pois se forem muitos  só assim,
velada em tanto riso, eu estarei feliz
 
quero, da boa música, muita cantoria
a melhor oração para embalar minha ida
envolta em sons com  toda sua poesia
 
nas mãos apenas uma flor em botão,
um rosário, uma foto de meu neto
como meu bálsamo diante da nova solidão
 
assim, o derradeiro  passo desta vida
no fim da caminhada eu serei capaz
em despedida e serenamente em paz!

Santos/SP 08/12/05

05- Se eu morresse amanhã
Eugénio de Sá

Se eu morresse amanhã, quisera um fado
Em guitarras tangido com encanto
Que do meu peito ao teu fosse levado
Com meu carinho, meu amor, meu pranto

Se eu morresse amanhã, que pena tinha
De partir deste mundo em solidão
Por não ter tua mão dada com a minha

Se eu morresse amanhã, que dor sentida
sei que te atingiria o coração
Pois mesmo nas distâncias desta vida
Sempre houve entre nós a comunhão

Se eu morresse amanhã, minha poesia
Viveria contigo na lembrança
dos mais belos momentos de estesia
Num estuário onde vogou a esperança
 
http://www.poemar.com/EugenioDeSa.htm
http://www.editora.ebook.olga.kapatti.nom.br/apresentacao_ebook.htm

06- Se eu Morrer Amanhã
Vilma Oliveira

I
Se eu morrer amanhã
Ninguém irá se lembrar
Nada de mim irá restar
Nem a sobriedade cristã!

Irão todos festejar
Em cima do meu caixão
Num festim atroz, malsão,
Todos irão regurgitar!

E, num acre deletério,
Levar-me-á ao cemitério,
Para o corpo enterrar;

Numa cova funda e fria,
Qual funerária sombria,
Para sempre irei ficar!

 II 

Até que se complete inteira
Degeneração putrefata
O verme psicopata
Dessa terra carniceira...

Mastiga, engole, come,
Com apetite voraz...
Roendo os ossos, quer mais!
Mata a sede e a fome...

Na sombra dessa ossatura,
Jaz a treva mais escura,
Permanece a agonia;

Embora com a alma liberta,
Com a sepultura aberta,
Abraço a monotonia!

http://charnecaemflor.t35.com/index.html

07- Se eu Morrer amanhã...
Maria Aparecida Macedo
Maria Anjinha

Se eu morrer amanhã,
estarei em teus braços, eternamente.
Se eu morrer amanhã,
ficarei na busca de um dia ser feliz.
Ficarei sem contar tempo e hora,
só para estar junto de ti...

Se eu morrer amanhã,
estarei  passando pela vida,
contando os dias não vividos,
esperando-te numa de minhas nuvens de algodão,
para poder te embalar, suavemente ,em meu coração.

Se eu morrer amanhã, estarei sem a noção
de estar contigo, sabendo que
minh'alma vai  bailar,em todo o Universo,
como uma estrela a brilhar,
iluminando nosso caminhol

Tu e eu,
mãos dadas, leves ,
como duas plumas,
dizendo um para o outro:
Sempre vou te amar...
Se eu morrer amanhã...
Estarei feliz, pois sempre te amei..

Araruama/RJ
http://www.recantodossonhos.com

08- O que você faria?
Sandra Ravanini
 
Se fosse hoje meu último dia,
não fossem palavras, versos e poesias,
o que de mim na terra restaria
além de gritos de uma alma em atrofia?
 
Quem aqui ou alguém se importaria
depois das missas que eu mesma rezaria?,
Após fechado o lacre o que de mim seria,
o que realmente de mim ficaria?
 
Se fosse hoje seu último dia,
ah...como sua falta eu sentiria,
não fosse o silêncio o eco da agonia,
palavras encantadas agora eu diria.
 
Não fosse a surdez de tão grande apatia,
meu mudo amor quem sabe você ouviria,
não fosse a cegueira sua eterna companhia,
meu olhar suplicante de amor você enxergaria.
 
Não fosse a lamúria do vício, importante arrelia
 um gesto ameno ao menos você me faria,
não fosse a gritante urgência, uma vazante já vazia
em meu último instante de existência você me veria.
 
Eu daria apenas meu último dia.

09- O Último dos Meus Dias
Lílian Maial

O último dos meus dias
Vai raiar ensolarado,
Vai chover gotas vadias,
Um arco-íris prateado.

No último dos meus dias
Quero mergulhar no mar,
Quero nadar na piscina,
Te amar, ser tua menina.

Quero pássaros na serra,
Ver golfinhos na praia,
Quero plantar na terra,
Quero cair na gandaia.

Quero dançar colado,
Quero beijar na boca,
Quero brincar com os filhos,
Quero trocar de roupa.

Quero ver Sessão da Tarde,
Quero ir ao cinema,
Quero namorar na praça,
Ser Garota de Ipanema.

Quero beber com amigos,
Quero entrar na igreja,
Quero criar abrigos,
Quero comer cerejas.

No último dos meus dias
Quero trabalhar mais que nunca,
Quero ficar menstruada,
Quero me sentir maluca.

Quero escrever poemas,
Quero viver um drama,
Quero resolver dilemas,
Quero te levar pra cama.

Quero me enfeitar de rosas,
Entender teu idioma,
Quero acordar em teus braços,
Multiplicar a nossa soma.

Quero voltar pra escola,
Brindar á tua saúde,
Quero pedir esmola,
Ter vivido o mais que pude.

Quero pintar um quadro,
Quero fazer um filho,
Quero pichar a fachada,
Soltar todos os passarinhos.

Quero flertar com o velho,
Quero parir o menino,
Quero vestir um terno
E nunca sair do cio.

Me cobrir com o edredom,
Ficar nua na revista,
Quero comer filé mignon,
Quero transar com o dentista.

Quero fazer travessuras,
Quero infringir as leis,
Quero viver aventuras,
Quero endoidar de vez.

Quero chocar a família,
Quero viajar de trem,
Quero morar numa ilha,
Ser vizinha de ninguém.

Quero pagar os impostos,
Quero rasgar as multas,
Quero cair na noite,
Quero te amar sem culpa.

Quero sentir o vento,
Quero colher a flor,
Quero provar o alimento,
Saber tudo sobre o amor.

Quero andar de bicicleta,
Descer na montanha-russa,
Esbravejar indiscreta,
Quero vestir a carapuça.

Quero olhar fotos no álbum,
Quero tomar bebedeira,
Recordar os meus mortos,
Chupar laranja na feira.

Quero fazer conferência,
Ensinar tudo o que sei,
Me vestir de inocência,
Assistir a um show gay.

Quero montar a cavalo,
Quero saltar obstáculos,
Quero curar o câncer,
Quero ser o espetáculo.

O último dos meus dias
Pode ser hoje, pode ser de verdade,
Só quero que tu venhas junto,
Para o vivermos na eternidade.

10- Se Chegar o Meu Momento
Rosângela do Valle Dias

Se chegar o meu momento
antes do seu,
aguardarei  no infinito
guardando tudo bonito
para quando você  chegar!

Esteja certo que eu também:
estarei cuidando de lá...
rompendo as distâncias,
que não se podem contar,
...de todo o seu caminhar.

Mas, se você partir antes de mim...
não se esqueça  de enviar
seja em sonhos
ou em poetar,
todos os seus beijos
para eu saborear...

Sentiremos juntos
sendo qualquer um o primeiro
o amor intenso
que não se findará
até que nossas almas
voltem a se encontrar.

Inspirada  no texto
"Se eu morrer antes de você"  de Chico Xavier.
07.12.04

11- Depois que for
Elainemalmal

Depois que me for
Deixo meus livros
A todos que não leram
E a todos os outros com sede de conhecimento.
Deixo a eles
Meus desejos
Meus sonhos minhas verdades.
Deixo assim a palavra
Que não disse,
Mas que pensei.
A incapacidade
De as por em uma folha,
Mas que meus companheiros
Puderam fazer.
Deixo então
Como minhas
Todas as palavras
Ditas por eles
E que não soube dizer

Versão em espanhol:
Después que me fue
Elainemalmal

Después que me fue
Dejo mis libros
A todos que no leerán
A todos los otros con ganas
De conocer.
Dejo en ellos,
Mis deseos
Mis sueños
Mis verdades.
Dejo así la palabra
Que no a dijo
Pero que pensé
La incapacidad
De las poner en una olla
De papel
Más que mis compañeros
Lo pudiera hacer
Dejo entonces
Como mías
Todas las palabras
Diítas por ellos
Y yo no lo supe decir.
 
setembro2004
http://despudoradaalma.blogspot.com
elainemalmal@yahoo.com.br

12- Se eu Morresse Amanhã
Fátima Irene Pinto®

Se eu morresse amanhã, eu levaria o gosto de muitas venturas.

Levaria alegrias infindas das serestas da mocidade,
dos arpejos do meu violão
e das canções que eu entoava com alma.

Levaria a lembrança de bailes inesquecíveis,
da leveza de meu corpo deslizando pelo salão,
como se embaixo de meus pés sequer houvesse chão.

Levaria o prazer das caminhadas matutinas
pelos campos da minha terra,
recebendo o beijo do sol, das árvores,
das nascentes, dos passarinhos,
das folhas farfalhando ao vento
e do aroma inconfundível da natureza pura, intocada.

Ah! levaria também o êxtase do nascer do sol dourando a praia
e das vezes que este espetáculo, pela rara formosura,
me fez chorar.

Levaria gravado no espírito,
o conhecimento dos muitos livros inspirados
que me chegaram às mãos e que do
"Supremo Arquiteto" vieram me falar .

Levaria a lembrança dos amores que tive
e não me pesa agora, saber que amada eu fui poucas vezes,
mas importa saber que todas as vezes que o amor bateu à minha porta,
a ele eu me entreguei por completo, sem nenhum medo de amar.

Levaria o carinho e a fidelidade dos muitos amigos e amigas
que fiz e de tudo o que, ao longo dos anos, pudemos compartilhar.

Levaria recordações incríveis da minha infância
e do carinho inigualável que permeou meu primeiro lar.

Levaria a suprema ventura da maternidade.
É bem verdade que ser mãe é "sofrer no paraíso."
mas a lembrança dos olhos negros dos meus filhos
me chamando de mãe em amplo sorriso,
que dinheiro no mundo pode pagar?

Levaria gratidão infinda pelo meu
trabalho que a princípio, me pareceu desdita.
Dada às letras e à música, lidando com números por décadas a fio
e, pela incompatibilidade, fazendo esforços incríveis para me adequar,
mas reconheço, não houve escola melhor do que esta,
para na arte da vida, me adestrar.

Percalços? Os tive, sim.
Por vezes incontáveis vi-me derrotada, sentada à beira do caminho
e porque não dizer, estirada ao chão ...
mas se eu morresse amanhã eu levaria a mais absoluta convicção
de que, uma "força" muito além das minhas próprias forças,
sempre cuidou de me levantar.

Por certo, não morrerei amanhã. Ainda não é hora.
Na tela da minha vida faltam pontos a bordar.
No livro da minha estória existem páginas em branco, por completar.

Mas, se eu morresse amanhã,
morreria abençoando a Vida e
cada instante deste precioso ano escolar !

www.fatimairene.com

13- Se Eu Morrer Amanhã
Mário Osny Rosa
 
Nessa vida tudo pode acontecer
Até essa se eu amanhã morrer.
Que se atreve o fato prever
Naquele belo amanhecer.
 
Previsões são previsões
Iguais a da cartomante.
Que anunciava o amante
Que chegava com desilusões.
 
Nem penso qual será o dia
Continua a minha faina.
Sem lembrar na fatalidade
Do dia da minha partida.
 
Pode ser sem despedida
Uma morte repentina.
Nem isso pode ser sina
Por quem será decidida.
 
São José/SC, 14 de setembro de 2.006.
morja@intergate.com.br
www.mario.poetasadvogados.com.br

14- Se eu morrer amanhã.....
Ciducha

Toma por normal
essa pressa de fartar-se,
com que se aliena
no fartar-se a existência,
ao morrer!!

Tempo,velho insano,
toma por normal o vício esquerdo
de contar a vida e a morte,
hora a hora.

Tempo,retoma o carretel
com que seguras,sexagenária
a pipa dos meus sonhos
enfeitada de auroras

Se eu morrer amanhã....
Refaz o caminho mais ameno
agora que teu peso
faz meu cansaço de existir .

Traz também no semblante
de quem sabe o gosto do amor
Traz também a neve inevitável,
mas não esqueça o verão
porque o frio,sózinho,
é coisa intolerável!

15- Glosando Humberto Del Maestro
Gislaine Canales
 
Morrer Dormindo 

MOTE:
Quem dera morrer num sono
sem dor, sem choro ou adeus,
e em doce e calmo abandono
acordar junto de Deus.
 
Quem dera morrer num sono
com os olhos bem fechados,
num vôo livre, sem dono,
sem tristezas, sem cadeados!
 
Queria uma morte linda,
sem dor, sem choro ou adeus,
deixando lembrança infinda
a todos amigos meus!
 
Que eu deixe a vida no outono,
depois de vivê-la bem,
e em doce e calmo abandono,
sem, jamais, magoar alguém!
 
Morrer dormindo, eu quisera.
É o maior dos sonhos meus.
Que bom seria, quem dera
acordar junto de Deus.

www.gislainecanales.com

16- Se Eu Morrer Amanhã...
Edméa Barsotti
 
Se eu morrer amanhã...
Depois da manhã...
Ou quem sabe,
Daqui a cinqüenta anos...
Quero que seja de saudades.
Mas se tiver que morrer...
Terei de fazer uma lista,
Do que não fiz até hoje
Como meu humor está apurado...
Deixarei para fazer a lista amanhã
Sei que estou levando na brincadeira
É que minha emoção grita dentro de mim...
Que não estou preparada.
E como ela é uma caixinha de surpresa
Então...
Quero momentos antes de fazer minha viagem
Poder dizer a todos que... Eu Os Amo!
 
05/04/2003_15.27 hrs

17- Se eu morrer manhã
Inês Marucci
 
Se eu morrer amanhã levando candura,
não espero que todos chorem demais,
rios seguirão curso normal de ventura,
pessoas se amarão com loucura e paz,
outros continuarão fingindo a ternura!

Almas perenes paridas neste doce verão,
marchas contínuas pelas estradas  afora,
ascese de multidões clamarão em oração,
muitos sonhos haverão de soluçar, embora
abismos desesperançados ganhem perdão!

Quando partir, não vigiarei no caos escuro,
horizonte coalhado de acéticos obscuros,
duramente algemados ao sofrimento cruel,
pois comungarei com as estrelas do céu!
 
Outrossim não morrerei amanhã nem jamais,
pois meus galhos em evolução intermitente,
na perenidad'abençoada serão sempre mais,
interagindo com a grandiosa Alma Celeste!

Santos-SP-15/09/2006

18- Quando eu Partir
gina

Quando eu partir
dessa para a melhor ou pior
– nunca se sabe...
eu lhes peço não lamentem,
tampouco digam
que boa alma ela foi...
 
Podem, no entanto, afirmar
que fui feliz
durante essa minha estada
pois sempre fiz o que quis
e só me arrependo
daquilo  que eu não fiz!
 
Se amarguras eu tive
- e sei que as tive –
delas fiz limonadas
e com as pedras do caminho
fui construindo estradas
mais seguras
e menos esburacadas!
 
Digam com toda certeza
que fui privilegiada
que ganhei mais do que dei
e se um dia eu voltar
devendo eu estarei
muito terei que dar
por tudo o que recebi!
 
Não se entristeçam,
lhes peço,
pois irei sem me queixar
consciente da minha finitude
certa da missão que aqui cumpri
se bem ou mal eu não sei!
 
Se quiserem festejar
que o façam
pois  não irão me magoar
“não quero choro nem vela”
tampouco fita amarela
Aliás, não quero é nada
Sei que estarei em paz...

29 de janeiro de 2006

19- Se Eu Morrer Amanhã...
v.m.s.
Arianne evans

Se eu morrer amanhã
só uma coisa peço a Deus:
Faça um dia diferente,
ensolarado, contente...
tão diferente, dos meus...
Se eu morrer amanhã,
saudades não irei levar
dessa vida mal vivida,
cheia de dor, tão sofrida,
que um amor não quis me dar...
Se eu morrer amanhã,
sei, ninguém irá lamentar...
ninguém chorará saudade,
porque a mim, de verdade,
jamais tentaram alcançar...
Se eu morrer amanhã..
só uma coisa irei sentir:
Não ter partido mais antes,
sem conhecer as sonantes
frases de amor de um amante
que só o fez prá iludir - me,
e com maldade, traír - me...
Não sinto pelo que deixo,
poesias que escrevi,
desabafos da minha alma
que jamais pude dizer...
Não tenho ninguém tão perto
que ao meu coração acalme...
Lembranças de mãos não levo,
que com amor me tocassem
com pura sinceridade...
Fui sempre tão rejeitada,
de louca, insana, taxada
não tive quem me aceitasse...
Vivi minha poesia,
no meu cantinho,isolada...
e à ela devo o pouco
de emoção e alegria,
pois nos sonhos me iludia
que podia ser amada...
Se eu morrer amanhã,
podem crer, parto sorrindo
levarei prá eternidade
um amor, uma saudade
um segredo os encobrindo...
Se eu morrer amanhã
sei que Deus vai receber - me,
num terno e amoroso abraço,
remindo - me dos meus erros
que cometi no desterro,
sonhando com outro espaço...

20- Preparando a Festa
(Se eu morresse amanhã)
Lígia Antunes Leivas

Se eu morresse amanhã
fantasmas sacudiriam as cinzas
enfeitar-se-iam com tiaras luzidias
tocariam cantantes minuetos
em sonoros violinos madrepérola

Se eu morresse amanhã
o baile lá no céu começaria hoje
Fariam para mim um festival
(pois o aviso da minha chegada
eu trataria de mandar de véspera )

Se eu morresse amanhã
cirandas seriam declamadas
ao som pampeiro da gaita gaúcha
e só aos anjos seria avisada
a hora certa de a dança começar

Porque... se eu morresse amanhã
tudo lá em cima viraria festa!...
Aqui embaixo ninguém lamentaria
a partida de alguém que nesta vida
quis somente um pouco de felicidade

Lígia Antunes Leivas
Revisora de Textos em Língua Portuguesa

21- Se Eu Morresse Amanhã
Adailton Guimarães
 
Se eu morresse amanhã, não morreria triste.
Pois deixaria muitos amigos aqui na terra.
E levaria para o céu meus poemas e mensagens,
Para ler para os que não tiveram oportunidade neste mundo.
 
Se eu morresse amanhã, quando chegasse, no céu,
Pediria a DEUS proteção para os poetas
Para os pobres desamparados e para as crianças.
E sobre tudo para o meu Brasil.
 
Se eu morresse amanhã, não morreria com medo...
Pois medo da morte, não tenho.
Tenho medo sim, de ser esquecido.
Por alguém que tanto quis e fui traído.
Morrendo em vida sem ter vivido.
 
Pois com certeza, se eu morresse amanhã, não teria morrido.
Porque nós nunca morremos, nós saímos da vida para entrar na história.
Na história de nossos amigos poetas, de nossa família,
De nossos amores, os quais nos amaram verdadeiramente.
Tenha uma vida digna aqui na terra, para quando partir:
Deixar muitas saudades, Saudades mil, saudades perenais.
 
Adailton Guimarães
O Engenheiro Poeta

22- aguardo a Morte
Isabel Fontes

como fazer uma sombra respirar?
os minutos são preciosos

mas nada agrava a memória
como respirar apenas?

todos os caminhos são percorridos
as buscas intensificam-se

o incêndio continua a lavrar
chuva maldita que não cai

tranquilamente a morte vai chegando
num silêncio brusco

pela manhã a sensação é fria
os caminhos abrem-se para a passagem

encosto o rosto à terra
permaneço quieta a ouvir

a relva cheira a jasmim
cheiros diferentes em cada inalação

pelos caminhos já percorridos
a dor não amaina

continuo a pedir chuva
para calar o sofrimento

cada minuto é precioso
nesta vida de memórias apagadas

pelos caminhos da manhã
tento ter uma morte tranquila

23- Se Eu Morresse Amanhã
Nilton Nallim Ferreira

Se eu morresse amanhã...
Ah eu acho que gostaria de voltar
Para te dar mais um abraço;
Para sentir teu perfume;
Para ouvir tuas juras de amor.

Se eu morresse amanhã...
Muita coisa ficaria para trás;
Pois teria ainda planos para o futuro;
Teria o desejo de estar contigo;
Arrepender-me-ia de ter-te negado algo...

Se eu morresse amanhã...
Morreria também para o depois de amanhã;
Pois sem ti, a vida não tem sentido;

Sem tua presença há um grande vazio;
Sem teu carinho, viver é sofrer...

www.nallim.qsl.br  - www.ibipora.org
www.ibci.org  -  www.pbshow.com

24- Se eu morresse amanhã...
Milamarian

Não seria triste e solitária minha partida
levaria junto a mim o canto dos amantes
ergueria ao horizonte a taça dos sonhos inebriantes
brindando a chegada do inverno em minha vida.

Alçaria o vôo eterno em asas de alegria
seria encanto rutilando em silvestres flores
e em topázios os meus véus de nostalgia
envolto o camafeu que carrego em suaves cores.

Entregue os finos laços desta vida peregrina
sairia em verdes campos em cálida alvorada
contemplando rosas de minh'alma cristalina.

Não verteria uma só lágrima na minha despedida
pois seria o derradeiro íris da primeira orvalhada
a minha voz na última gota ao vento arremetida.

Japão - 15.09.2006

25- Se Eu Morresse Amanhã...
Olga Maria Dias Ferreira

... o que eu iria deixar?
Lágrimas
 e flores,
histórias destes amores
que pude vivenciar.
Eu deixaria t  os delírios,
matizes
e martírios
como quem não quer levar.
Poderia deixar meus poemas,
minhas trovas
e dilemas
que ainda ouso conservar.
Ficaria meu sorriso,
esboço do paraíso
em que viver sempre quis.
Deixaria meu passado,
belo presente a teu lado,
fortuna, tonto legado,
para, então,
ser feliz.

Pelotas- RS

26- Se eu morresse amanhã
Lu_guerreira
 
Se eu morresse amanhã, levaria comigo
As coisas que aprendi, pois essas
ninguém me tira, meu saber ninguém
me rouba...

Se eu morresse amanhã, levaria que aprendi
a valorizar as pessoas, não por sua aparência fisica,
e sim pelo seu interior,
pois a aparência é só uma casca e o interior é amor.
 
Levaria minhas dores, pois com elas
eu aprendi e cresci, me tornando uma
pessoa melhor, e se alguém sofre, hoje
sei como ajudar, consolar...
 
Se eu morresse amanhã, levaria as dores da
desilusão. Aprendi  que antes de acreditar
eu tenho que me amar e não permitir
que ninguém me faça sofrer.
 
Levaria comigo, os amigos que perdi
por incapacidade de entendê-los e
conservá-los ao meu lado, mesmo sem
eu querer, os deixei partir...

Se eu morresse amanhã, levaria comigo
O amor que um dia conheci e que me fez feliz
E nessa felicidade eu vivi amando e fazendo
Alguém feliz.

Levaria comigo o amor mais puro, mais sublime,
o amor mais sincero, verdadeiro, levaria o amor
que tenho e recebo dos  meus filhos e meus netos,
pois esses, nunca vão deixar de ser meus,
mesmo eu não estando mais aqui...

Levaria comigo minhas lutas,
minhas vitórias, minhas derrotas,
nem sempre se ganha e se perdemos é para aprender
que caindo é que temos forças para nos erguer.

Levaria comigo a minha fé, minha fé
no Criador, pois ele me ensinou...
A rezar, a confiar e a cada dia acreditar
que estando com ele, eu nunca estaria só!
 
Se eu morresse amanhã, levaria esse meu momento único,
esse momento que ao escrever, me emocionou...
Levaria em meu coração toda minha emoção
em descobrir o que  levaria comigo...
Se eu morresse amanhã....
 
14/10/06

27- Si Eu Morrê Aminhã
Jorge Linhaça

Si eu acauso morrê aminhã;
num há di sê de tristeza;
há di sê di morte matada;
ô intão por arguma vileza.
Si eu acauso morre aminhã
levo cumigo uma certeza;

a certeza di qui os amigo;
não hão de me prantear;;
pois é bem mió u sorriso;
pur saber qui vou estar;
nas porta du paraiso;
esperando prá entrar.

Si eu acauso morrê aminhã;
vô em paz com a consciênça,
a alma em uma crara manhã;
defendendo a minha crença.
Vou com cheiro de hortelã
du meu cigarro de menta

Si eu morrê aminhã por acauso;
é por que foi chegada a minh'ora.
Di mim vão contá muitos causos;
falar do amor que em mim vigora;
quem sabe inté argum aplauso
Nu momentu di me ir embora.

28- Tudo Tem Um Fim
Marcial Salaverry

Chegará um dia,
em que não mais escreverei,
porque não mais aqui estarei...
E que lágrimas por meu amor choradas,
serão lágrimas derramadas
com amor e carinho,
por quem seguiu o definitivo caminho...
Nesse dia, certamente,
você compreenderá
que meu caminhar enfim,
chegou a seu fim...
Dessa longa viagem, não retornarei,
e para sempre longe de você estarei...
Restarão apenas alguns sonhos,
aqueles mais risonhos,
apenas planejados,
nunca realizados...
Restará a lembrança de meu romantismo,
sempre criticado por seu imediatismo...
Não mais terei tempo de erros consertar,
e você terá que me perdoar,
por ter lhe deixado assim...
É o destino, enfim...
Você poderá se lembrar daquilo
que juntos sonhamos,
mas não consumamos...
Aquelas viagens... Aqueles passeios...
Por que não os fizemos?
Então, será tarde demais...
Não mais pensar em nós,
porque foram desatados os nós...
Serei apenas uma lembrança...
Estarei em meu ambiente,
no mundo das estrelas e da lua,
mas a verdade nua e crua,
é que serei apenas uma lembrança...
Uma doce lembrança?
Ficou a ilusão do amor, do sonhar,
não poderei voltar para algo terminar...
Daquilo que pudemos ter e viver,
e que não se poderá reviver...
Assim é a vida,
e temos que aceitá-la, minha querida...
A vida tem um início, e um fim,
Começa, desenvolve e então, enfim...
*
Na vida tudo tem um inicio, um meio e um fim...
Inclusive a própria vida...

Poema escrito como homenagem aqueles poetas
que agora são apenas saudade, mas que marcaram
sua passagem entre nós.
Talvez uma mensagem enviada por um deles, aqui captada.
Mas que serve para todos nós, que cantamos a poesia da vida,
fazendo da vida uma poesia.

Marcial Salaverry

29- E  se  eu morresse amanhã...
Elaine

sei do mundo pouca coisa
sei da morte muito menos
mas sei que se morresse amanhã...
passaria rascunhos à limpo, hoje.
Daria centenas de telefonemas
e comeria uma pizza.

Daria um jeito de em luz
transformada,
avisar aos amados de minha ida
o amor primeiro
o pai, a mãe e o irmão,
a melhor amiga e meu cão

já teria em testamento
que meu corpo fosse enterrado
sem muita pompa ou  galhardia
fosse noite ou fosse dia
como chuva de verão
que o pranto fosse leve,
apenas um "tchau" sem pretensão

por esta  Paz que  a passagem  traz
e  uma vida com recheio,
vou alegre, sem temor
passo pro outro lado sem receio...

se eu morresse amanhã...

(em todo caso tenho uma listinha de coisas
que preciso fazer antes de ir...  afinal
também sou responsável pela melhora do mundo....)

Elaine
setembro primaveril de 2006

30- Se eu morrer amanhã...
Francisca Silva- Chicailheu-

Se eu morrer amanhã...
Não chorem por mim
Estarei sempre convosco
Do princípio até ao fim!

Se eu morrer amanhã...
Não gritem, nem dêem ais,
Eu não parti de vez,
Estou entre outros mortais!

Se eu morrer amanhã
Não levem grinaldas de flores...
Porque as flores para mim
São símbolo de alegria, não de dores!

Se eu morrer amanhã...
Levem-me apenas flores singelas,
Não custam tão caro
E são certamente mais belas!

Se eu morrer amanhã...
Apenas duas coisas peço,
Põe-me nas mãos um crucifixo
E sobre elas, o meu terço!

E eu morrer amanhã...
Lembrem-se de mim com alegria...
Desta Chica, alegre e divertida
Que foi vossa amiga um dia!

Se eu morrer amanhã...
Será para mim doce bem...
Vou para junto da minha
Querida e saudosa mãe!

Terceira -Açores

31- Se eu Morrer Amanhã
faffi/Silvia Giovatto

Por favor, não morra amanhã
espere mais um pouco...
Me deixe ao menos conhecer seu rosto
e guardar esse lindo momento.
Não saía desta vida sem levar na memória
essa amizade sincera que entre nós se criou.
Poetas não morrem...
Poetas se eternizam nas obras que aqui deixou
E se mesmo com todo esse meu lamento, você se for...
Vou ler os seus versos e enxugar as lágrimas
que entre um e outro você derramou.
E aqueles versos nos papeis amarrotados,
vou passar a ferro quente e desamarrotar
um a um  humildemente...
Vou fazer com eles um livro dourado
falando do seu quadro mal pintado.
Terminando com a famosa frase..
Descanse em paz minha amiga...e
não queira mais voltar para está vida,
ela já te machucou demais.
Agora, se eu morrer amanhã,
me for na sua frente...
Não fique triste, nada de silêncio...
Faça uma festa!
Convide meus amigos, seus amigos,
cantem, dancem, falem de mim a vontade,
porque é assim, em ambiente festivo
que eu quero ser lembrada.

15/09/2006

32- Se eu morrer amanhã
Helô Abreu

Se eu morrer amanhã
Saibas que quando parti
Meu último suspiro
Dediquei a ti
Meu ultimo pensamento foi teu
Meu último desejo
Foi um desejo ardente e ateu
E mesmo que arda no fogo do inferno,
Digo-te desse vale onde me encontro..valeu
Para ti deixo meus doces beijos de boa noite,
Deixo-te  pingos da chuva,
Cacimbos de água doce e suave
Como as que corriam pela minha face
Quando longe de ti estava
Deixo-te minha paz,
Paz quente como a que sentíamos
Depois do amor realizado,
Deixo-te paz de crianças sorrindo
De amores perdidos e reencontrados
Deixo-te a luz do primeiro raio de sol 
Surgido depois das tempestades
Deixo-te minha paixão pelo mar.
Lugar onde sempre gostávamos de estar
Onde nos banhávamos depois de amar
Busque a mais alta e bela onda
E serás por mim abraçado
Através dela onde me acharás
Deixo-te meu amor tão sonhado
Mas mais que tudo deixo-te minha vida
Para que em ti eu continue
Sendo sempre amante, amada
Te amando...eternamente
Na estrela cadente mais próxima
Que docemente cairá
Como um beijo suave meu
Somente para ti...

33- Eu e a Morte
Sueli do Espírito Santo

Passei a vida toda a te temer
mas a ti sou submissa, que fazer
se estás chegando, tão perto
não há como resistir é certo

não há armas para enfrentar
assim calmamente eu te aceito
até porque não há mesmo jeito
mas o que resta quero aproveitar

fazer uma faxina nos sentimentos
eliminar a raiva, a mágoa, o rancor
purificar a alma através do amor
pois  só ele traz bons pensamentos

E, neste momento único, extremo
não por covardia, a ti me entrego
não por medo, contigo me alegro
afinal o que me espera é Supremo.

http://www.sue2001.recantodasletras.com.br
http://br.geocities.com/sueli_espirito_santo/index.htm

34- Condicional
Marcos Milhazes***
 
Se a luz nasce dentro do poeta.
Se as letras caem em sua direção,
São os pingos de chuva de verão,
que te olha e te molha sem distinção.
 
Mas se há uma briga de caprichos num poema?
E se os versos gritarem?
Eu sou o mais rápido e objetivo
E se afirmarem às estrofes?
Somos o sentido completo da prosa
 
E se a inspiração invocar a bandeira branca?
E os poemas, versos e estrofes juntos,
propiciarem o ritmo  das rimas?                                
E se a sensibilidade das mãos colocasse
um coração na ponta de qualquer coisa que escreva?
E se dessa briga bizarra nascesse um poema todo cheio de prosa?
 
E como Se, é um condicional, controlarei o meu emocional.
E Se minha opinião for de todos, o contrário.
E Se Deus me deixar na fila do obituário,
E Se eu de fato não ficar ao contrário, juro:
-Amanhã mesmo dispenso meu inventário...

35- Se Eu Morresse Amanhã
Antonio Cícero da Silva

Se eu morresse amanhã
sairia dessa terra
e em outra dimensão
falaria com o grande Deus,
referente aos acontecimentos
que surgem no dia-a-dia.
Pediria ao Criador,
para ter piedade do homem,
em todo o imenso mundo.
Pediria ao ser Superior,
para ter misericórdia das matas,
das águas e da terra,
que muito sofrem no nosso tempo.
Para que o homem use a sã conciência,
a bem da boa vivência.
Agiria como um anjo às ocultas,
e pediria a tranquilidade
para as nações, muita paz
e harmonia entre os homens...
Tudo isso eu faria,
prostrado aos pés do Criador...

http://www.recantodasletras.com.br/autores/antoniocicerodas
http://www.celeirodeescritores.org/cicero.htm
http://www.paralerepensar.com.br/antoniocs.htm
http://www.camarabrasileira.com/antoniocicero.htm

36- Se eu morresse amanhã
Fatyly

Se eu morresse amanhã
apenas posso pretender
que não quero flores
muito menos velas
falsos amigos
certos familiares
por ter sido artesã
d'um legado consistente
quero sorrisos
de todas as cores
troca de palavras belas
recheadas de valores
numa vida mais sã
partiria tranquilamente
Se eu morresse amanhã!

16/09/2006

37- Se eu morrer amanhã,
João Carlos (Rother)
 
Quero que sejas a historiadora,
Ou que me pintes em cores pastel
As minhas formas, perturbadoras
No corpo coberto de flores de papel.
 
Meu destino já foi maltratado em vida.
Os resíduos de fantasmas íntimos,
Brilhantes na individualidade aferida,
Ontem sedutor, mas amanhã extintos.
 
Meus olhos demonstraram toda a dor,
Articulados no fim deste inverno
Que vê o fim de um jogo sedutor.
Vitória que amanhã será o inferno.
 
Causas independentes da vontade,
Pois sei que amanhã será o triunfo
Cujo destino é sorte ou fatalidade,
Simplesmente já joguei meu trunfo.
 
Minha vida é instrumento de amor.
Amei, eduquei e protegi o meu clã,
Mas agora suporto sozinho a dor,
Na ironia de ter que morrer amanhã.

www.poetarebelde.com

38- Se Eu Morresse Amanhã
Tarcísio R. Costa

Se eu morresse amanhã
minha alma partiria sem ter realizado
o seu ciclo de sonhos...
não teria liberado todo o amor
reprezado no meu coração...
Seria uma pena!
Não teria a despedida
de quem amo e  está distante...
Mas levaria algumas certezas:
que cumprira os meus deveres,
na medida do possível,
que vi na religião o amor,
nunca a magia...
que enviei o meu alerta de amor,
através do ritmo da  poesia...

39- Se eu morresse amanhã
Branca Tirollo

Entre corpos apertados e nus
Sufocada de amores e dor
Levaria aos pés desta cruz
As torturas loucas de amor
 
Beijaria a mortalha lilás
Deixando o desejo brilhar
Sobre a tímida pálida luz
 
Sondaria o calvário aquém
Sem repartir com ninguém
Este amor que me seduz
 
No leito de morte ascendia
O fogo desta forte paixão
Vivida em meio à agonia
 
Deixaria o perfume da flor
Juntinho do mel prazeroso
Escandalizando os olhares
 
Se eu morresse amanhã
Com véu branco amaria
Sobre a terra, sob o céu

Em clima de  temporal
Bem mais do que pude
Um dia.
 
www.projetoartebrancatirollo.com

40- Se Eu Morresse Amanhã
©Soaroir Maria de Campos 

I
 
Desinfetar o beco e abandonar o eito...
Antes, porém eu da sentença recorreria,
em cabendo uma apelação para tal feito.
 
Certamente, se amanhã morrer fosse o dia,
chegada a hora daqui eu ter que partir
de volta pras estrelas, lugar donde eu vim,
indeferimento rogaria pro meu sair.
 
Acinte, desazado momento, aceria!
Das gentes que conheço com nada a provir
premiada delação por tempo eu trocaria
pra minha criadeiria eu poder cumprir.
 
II
 
Amanhã um dia, se finalmente, o dia,
vir de lá de cima a ordem pra partir,
a mais intensa febre de agror
das imputadas penas eu buscarei remir
do ventre inda aquecido por este calor
 
– Ontem não pude vos dar amor! Eu sei.
Vinde aos meus seios, agora vos esperam...
Não deveríeis assim ter partido! Errei...
 
Quero no Céu ter uma brecha permanente,
um novo começo para as vidas desmedradas,
guardadas neste mofino quarto quente,
pelo meu amor ainda abaetadas.
 
Silente Existência vinde repartejante
a quem hoje a Vida foi quem abortou
arrependida e eternamente penitente.
 
Set.15-2006_São Paulo, Brasil

41- Tal Vida Tal Morte
Marineusa Santana

A morte para mim
É algo bem natural
Quando chegar o meu fim
Espero ter um sinal

Desejo ser enterrada
Em cova rasa no chão
Quero que esqueçam o lugar
E lá não voltem mais não.

Não quero coroa de flores
Nem lágrimas de ninguém
Se não me deram em vida
Em morte não me convém

Não desejo ser um peso
Pras finanças da família
Meu velório já está pago
Quando eu morrer um dia

Se eu morrer amanhã
Trate-me do mesmo jeito
Falsidade e fingimento
É que coisa que não aceito

Tal vida tal morte
É esse meu pensamento
Aos que me amaram
O  meu agradecimento.

marineusantana@hotmail.com
Brejo Santo, 16 de setembro de 2006

42- O dia em que eu morrer!
Milla Pereira

O dia em que eu morrer, não me tragam flores,
Eu não quero pranto nem dores,
Eu não quero que sofram por mim!
Eu quero que seja em um dia bem bonito,
Em que o sol apareça brilhante no infinito,
Em que as pessoas estejam felizes, enfim!
 
Eu quero que todos guardem na lembrança,
Do que eu sempre fui, desde criança
De todo o bem que eu pude praticar em vida!
Mas esqueçam, por favor, todas as quimeras,
Que vivi, tentando encontrar o que eu era,
Procurando a paz e a felicidade perdida!
 
Não... não chorem neste dia, por favor!
Pois eu terei esquecido toda a dor,
Todas as lágrimas que derramei em vão!
Eu só quero ao meu redor, alegria
E que saibam declamar a poesia
Que sempre alimentou meu coração!

emiliapereira2005@hotmail.com
http://millaepoesia.spaces.live.com

43- Se Eu Morresse Amanhã 
nancy pimentel

se eu morresse amanhã
certamente encontraria
algumas  almas amigas
que, cada uma à sua maneira,
nesta minha encarnação,
muito significaram para mim.

se eu morresse amanhã
por certo deixaria um pouco de mim
no sorriso de uma filha
no temperamento de meu filho,
na  coragem de outra filha
e no caráter de meus netos

se eu morresse amanhã
levaria em minh'alma, cansada,
a certeza de  ter ,sem ser ousada.,
conseguido cumprir muito do  que
a mim fora permitido por Deus,
em meu  livre-arbitrio,realizar.
      
se eu morresse amanhã
gostaria que minhas cinzas
fossem colocadas,sob uma árvore,
na Gávea Flamenguista
pois  como sempre digo,
-" Uma vez Flamengo,
Flamengo mesmo depois de morrer!"

(2006)

44- Partida
Anna Peralva
 
Eu parto com o vento
que lá fora sopra...
Desfaço minha matéria,
desato os sentimentos
que aqui me prendem.
Dos lençóis da terra
farei meu leito.
Desfeito os fios de conexão
desta etapa, do amor, levarei
saudades;
da dor, a paciência
na espera da cura;
dos sonhos, ficarei com a essência,
que por pura necessidade foi meu
açude no deserto da solidão nos fins
do meu tempo;
dos momentos aqui vividos, a certeza
da efemeridade e da minha finitude...
Após a desmaterialização, serei pó
que a brisa noturna dissolverá.
Mas na ventura das asas do mistério
que envolve este espaço, minha alma
viverá envolta na sensibilidade que a
manteve livre da insanidade.
Sempre a espera de novos plantios
e colheitas destes ciclos
de aprendizagem:
VIDA,
MORTE,
ETERNIDADE...

30/03/2006

45- Testamento
Margaret Pelicano

Concedo à minha família
ainda em vida,
a gosto pela leitura,
pela literatura,
um dicionário de Regência Verbal, sem o qual,
amores de minha vida,
nas provas de dinheiro da vida,
vocês passarão muito mal...

Concedo-lhes ainda em vida,
o desenvolvimento da percepção!
Observem as plantas, os insetos,
tenham pensamentos retos,
amem os animais domésticos,
respeitem a todos os seres dos céus e da terra!
Pocurem amar a Deus sobre todas as coisas,
amem-se, uns aos outros, como Jesus nos amou!

Depois, das lições de compreensão e incompreeensão de cada dia,
procurem esquecer a segunda,
e tentem compreender o mundo sempre mais!
Evitem as disfunções, os ais;
as raivas, o apego!
Busquem o sossego, sozinhos,
ou em companhia!
O sossego do espírito é uma arma pacífica
para que se possa viver bem demais!

E finalmente, quando eu partir,
procurem cumprir essas disposições
e lembraem-se sempre das lições de Cristo:
Semeiem o bem, sejam amigos de todos,
não se envergonhem dos pobres, sejam humildes...
Testes para a paciência de vocês, surgirão o tempo todo,
por isso, façam do Cristo,

sua Estrela Guia!
Assim, chegarão um dia,
junto ao Todo Poderoso
e obterão repouso!

Brasília - 21/06/2006

46- Se eu Morresse Amanhã
Pedro Valdoy

Amanhã
é um dia incógnito
serei vivo ou morto
o certo é que ficarei no esquecimento

Se morrer amanhã
a vida continuará
e ficarei no descanso eterno
mas irei brincar com as estrelas

Só os meus amigos
tentarão
lembrar-se de mim
quando era vivo

Minha família
não me esquecerá
e as recordações
sentir-se ão no firmamento

Meu corpo fica
na podridão dos cemitérios
e à terra voltará
como meu companheiro

As lágrimas
com o tempo
serão sorrisos
para uma nova vida

Minha alma perdida
sentirá o vazio
enquanto outros espíritos
me levarão para o infinito

Serei feliz?
talvez com o meu Karma
me colocarão
algures no infinito com paz

Se eu morresse amanhã
meus projectos
irão para o caixote do lixo
com a tristeza de alguns.

Lisboa Setembro de 2006

47- Se eu morresse...
Vuch@

Se eu morresse amanhã
repensaria todos os meus passos
relembraria de quantos abraços
e quantos beijos eu já esqueci...
Se amanhã eu morresse
levaria nos lábios um sorriso
chegaria feliz ao paraiso
tal a intensidade com que vivi!

Cotia17/09/06_00:18
¿!\Vûchynh@®
http://br.geocities.com/nascipoeta_br/index.htm

48- Se Não Houver Amanhã...
Elizabeth Assad

Se não houver amanhã,
levo comigo  a certeza de que fui feliz.
A certeza de que amei e fui amada,
vivi cada momento intensamente.

Não me permiti, perder o encantamento
pelas coisas , senti o cheiro da terra molhada,
observei o cair do dia,
senti o sabor de um bombom,
o cheiro doce da maçã e o
gosto de amor em minha boca.

Sorri sempre e jamais contive
minhas emoções, cada lágrima
derramada de alegria ou tristeza
vieram do coração.

Amei filhos, família, amigos,
irmãos e  meu amor amei de paixão.
Amei as flores, a música e o vento.
Ouvi o cantar  dos pássaros,
vi o bailar do beija-flor.
Ouvi as ondas do mar
e sempre estive a cantar.

Senti a chuva , o calor e meu coração
gritando amor.
Se não houver amanhã,
eu nada perdi,
porque com Deus sempre
vivi e aprendi a amar.

49- Se Eu Morresse Amanhã...
Rosa Magaly Guimarães Lucas
- Eire

Se eu morresse amanhã, não gostaria,
De prantos e soluços a meu lado...
Queria o sol a iluminar as flores,
E pássaros a pipilar nos ninhos...
Que a brisa fresca as folhas agitasse
Num bailado delicado e sensual...
Queria ver sorrir os meus amigos
A relembrar os fatos, e contatos
Que me fizeram sorrir alguma vez...
Que aqueles afastados, se juntassem,
Mãos em carinhos, olhos em ternura...
Ah, seu eu morresse amanhã!
Gostaria de ouvir poetas, poesias,
E alguém de bela voz a me cantar Cortazar,
Ah, como eu gostaria!
E quando juntos alguém que chegasse a dizer:
”Há paz no mundo! E os preconceitos foram extirpados!”
A violência morreu,
E os comentários invejosos
Perderam sua força e direção!
Meu marido, meus filhos, meus irmãos,
Abraçados envoltos em harmonia!
Se alguém me olhasse então, nesse momento,
Veria em minha face um tímido sorriso,
E dos meus olhos rolar uma lágrima de satisfação...
Se eu morresse assim, amanhã, estaria feliz!

50- O Inicio
SCassal

Se hoje fosse meu ultimo dia
De existencia nesse corpo celestial
Agradeceria ao Pai por me dar mais
Essa oportunidade de com Ele me encontrar

Na certa deixaria saudades
Daqueles que aqui ficarem
Mas com certeza voltaria
Com mais conhecimento da verdade.

Poderia nessa viagem, rever,
Aqueles que antes de mim se foram
Aproveitando a oportunidade
De deixar tudo novo.

51- Se eu morresse amanhã...
Azoriana

Se eu morresse amanhã
Não sei se voava,
se ria
ou se chorava.
O amanhã está aqui
Tão próximo de mim
Tão rente do fim
Esse fim que não é segredo
Mas que conserva o medo
De me desprender do real
Sem saber do sobrenatural.

Se eu morresse amanhã
Seria feliz porque hoje ainda vivo
Para pedir-te Perdão
Na véspera da despedida
E serei mais alegre nessa partida...
De encontro com a VIDA...

O amanhã está comigo
A hora é com Deus, Amigo!

O dia que não acordar
A tarde que virar noite
Da noite que não existir
No amanhã hei-de seguir.

Queria-te, amor, de mão dada
Nessa longa caminhada
E num beijo demorado
Sentir-te ali do meu lado

E se eu morresse amanhã assim...
Amava!

http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt

52- Sem Lutos
Carmo Vasconcelos
 
De vós, amados, quero ao vos deixar
Risos, poemas, flores, melodias
Viçosas cores de felizes dias
E sem lutos minh’alma há-de cantar
 
E lá do alto há-de abençoar-vos
Poeira do que em mim já foi matéria
E que subindo à morada etérea
Um dia em nuvem há-de visitar-vos
 
Se alguns de vós eu vir inda chorosos
Desfeita em chuva os olhos lavarei
Aos que em saudade trazem brilho fosco
 
E pra secar os olhos lacrimosos
Ao sol brilhante os raios roubarei
Que amar-vos não será chorar convosco

In E-Book “Sonetos Escolhidos”
http://www.delnerobookstore.com/bibliotecas_virtuais/carmo_vasconcelos

53- Se eu morresse amanhã
Heloisa Abrahão.

Se um anjo do Senhor anunciasse o dia da minha partida,
revelando-me o momento da minha despedida deste planeta insano...
Eu, certamente teria que correr, pra ofertar os últimos abraços.
Primeiro, uma lista dos indispensáveis, os parentes queridos.
Depois, os insubstituíveis, os amigos sinceros.
Os colaboradores e auxiliares, aqueles que me deram a mão, e
Aqueles que eu ajudei, criando um vínculo carinhoso.
Os afilhados de uma, ou várias causas...
Os amores que marcaram o meu coração.
Levaria um botão de rosa, sem espinhos aos parentes queridos.
Aos amigos sinceros ofereceria orquideas raras, pra combinar.
Aos colegas colaboradores deixaria um ramo de flores silvestres.
(Neste mundo de puxa-tapetes, colaboradores são raros)
Aos afilhados(as), deixaria como exemplo, o meu otimismo...
Aos amores deixaria meu sentimento, meu obrigada, meu carinho.
E pra finalizar o dia, quase na hora da partida, terminaria a minha
Carta de despedida.
Adeus planeta louco
Deixo aos habitantes um ramalhete de sentimento
Muito carinho, muitas flores e muitos amores.
A evolução pode ser lenta, mas a poesia traça
Desenhos na alma de quem tem o coração puro.

(Sta Catarina)

54- Se eu morresse amanhã
Luiza de Marillac Bessa Luna Michel

Faria com que meu filho lindo
Tivesse seus estudos garantidos
Até o final da universidade...

Faria um pacto com a lua
E nunca mais me desgrudaria dela
Daria meu pranto  e meu amor todo a ela ...

Entregaria aos amigos uma carta
Agradecendo pela amizade
E pelo carinho companheirismo eternos...

Faria uma poesia que falasse de amor,
de paixão, de fogo vermelho
queimando as artérias do coração

Faria da vida uma imensa
e linda forma de coração
Sem espasmos sem torturas

Faria o mundo amanhecer em paz
E anoitecer em fogos de felicidade...
Deitada nos braços do meu grande amor...

55- Nós
Lúcio Reis

Se eu morresse amanha com alegria partiria
Pois aqui para ti minha gratidão e confessar minha felicidade
Neste espaço e para mundo diria
Contigo tudo de novo começaria

Há mais de 33 anos, nessa estrada, és minha companhia
Passo a passo viemos e um momento sorrimos
Em outros tantos e muitos choramos
A casa não era nossa e muito menos a campainha
Percorremos trilhas e muito trabalhamos
As vezes penso já podermos declarar: vencemos!
Mas, ainda falta muito chão e a fita de chegada está distante, não nos apressemos
Nosso combustível nessa maratona é o nosso amor, assim vivemos
As vezes pedras nos fazem tropeçar, titubeantes ficamos
Porquê a tolerância não observamos
Mas, ultrapassamos, uma e muitas cercas e continuamos
E quando ele chegou, recordas os dias vividos, choramos
As noites não dormidas, batalhamos
Lembras, foi um solavanco que tudo desencandeou, nos assustamos
Em ti, em teu ventre muito, bastante doeu, de novo choramos
Mas no dia 8 de um setembro, ele já estava em teu colo, sorrimos
Depois foi ela e que desde o inicio biológico que viria,  já sabiamos
E foi só esperar os 9 meses, a que em 21 de um dezembro, a tinhamos
Ela viesse formar em nosso time e que, agora 4 já eramos
Que maravilhoso foi e é o Senhor para conosco, oremos
Hoje sei, ou melhor sabemos
Que aqueles instantes de irritação, foram provações, passamos
Foram a pavimentação da estrada para ao hoje chegarmos
Convictos quão o Senhor conosco sempre está, ja estamos
Jamais invejamos alguem, por isso progredimos
Aqueles que subiram aplaudimos
E  conduzindo nossas vidas sempre esperando, viemos
Sôbre nós a mão de Deus a nos guiar, louvemos
O encontro com Cristo (ECC) que foi marco em nosso lar, outra vez louvemos
Melhoramos muito, talvez 100%, sem exagerar, nisso cremos
Tropecei, tropecei, mas você não me negou a mão, prosseguimos
Nossa vitória é portanto, em muito do seu amar, a ti santifiquemos
Nossa guerra, a guerra da vida a dois, ainda não a vencemos
Ela só se liquidará quando um de nós daqui partir
Posto que, nosso time é você e eu
Conquistamos amizades!! E que amigos! E muito são
Eles estão sempre por perto a nos cumularem:
De carinho, atenção e positva vibração e conosco sorriem
Se preciso for, também ao nosso lado chorarão
E quando problemas, para nós surgem até se entristecem
Gata borralheira, lá trás, poderia te adjetivar
Mas hoje, és a Rainha de nosso lar
Onde há sossego, paz, harmonia e amar
Vistes a surpresa com que o Senhor nos presenteou?
Fomos longe, muito longe e muito além do que Mosqueiro
Ainda é como se fosse um sonho dourado
Mas sabemos ser real, concreto e realizado
Assim como o são nossos amigos
Sabemos que muito mais longe iremos
Agora que elas são três, serão dias de triplice saudade
E quando voltarmos, serão beijos e abraço triplicado
Pois com a força do nosso amor
Transformaremos sonhos em realidade
Pois sabemos que só o amor constroe com solidez e verdade.

18/09/06

56- Se Eu Morrer Amanhã
@liosh@**/CIG@N@**
 
Se eu morrer amanhã
Não perca tempo chorando
Você teve tempo para sorrir comigo
Se não o fez, não lastime.
 
Se eu morrer amanhã
Não venha ao meu funeral
Você teve tempo para me fazer companhia
Se não o fez, não se atormente.
 
Se eu morrer amanhã
Não cubra meu corpo inerte com flores
Você teve meu jardim da vida para cuidar.
Se não o fez, não desanime.

Se eu morrer amanhã
Não escreva homenagens póstumas
Você teve meu correio, meu telefone
E a mim para conversar
Se não o fez, não se estresse.
 
Se eu morrer amanhã
Não mande agora minhas fotos para todos
Não os force a saberem o quanto eu era  plena de vida
Se o fez, por favor, delete.
 
Se eu morrer amanhã.
Não envie carinhos para outra dimensão
Você teve tempo pra me abraçar
Se não o fez, perdeu precioso momento
 
Se eu morrer amanhã
Não culpe a vida, as doenças.
Todos teremos nossa hora
Se o fez, seu conceito reveja.
 
Se eu morrer amanhã
Não pondere ,como se eu fosse um anjo.
Também tive meu lado demônio
Se o fez, reconsidere.
 
Se eu morrer amanhã
Não quero ser lembrança
Não acenda velas, nem em musicas lembre-me.
Você teve tempo para jantar e estar comigo
Se não o fez, não perca tempo, reze uma missa.
 
Se eu morrer amanhã
Vira a página, vá viver sua vida.
Não  guarde-me na lembrança
Pois o hoje é o presente, faça-o  agora.
 
Vivamos e sejamos a perspectiva
De vida sem atestado de eternidade
De estarmos juntos, de sermos esperança.
Que hoje temo-nos e amanhã talvez!

Bragança Paulista_17/09/06_12:00h

57- Se Não Houver Amanhã
Schyrlei Pinheiro

Se não houver um amanhã,
te deixarei com o ontem,
o presente do meu eterno amor,
revivendo meu riso
e toda felicidade que vivemos
nos pequenos e grandes momentos,
enquanto semeávamos, juntos,
as sementes das flores,
que,  de herança,
com meu perfume te deixarei,
para que saibas, sempre,
o quanto te amei.

58- Se Eu Morresse Amanhã
Bernardino Matos.
 
Se eu morresse amanhã e tal certeza tivesse,
ficaria feliz, por me sentir livre dessa tensão,
dessa incerteza, e antes que a morte viesse,
às minhas emoções contidas eu daria vazão.
 
Meu último poema versaria sobre o cansaço,
que sinto, todos os dias, a esperar em vão,
que o amor prevaleça e ocupe mais espaço,
no seio da humanidade e elimine a agressão.
 
Antes do romper da aurora, de casa sairia,
para pedir perdão a cada menino de rua,
por ter sido indiferente, cada um abraçaria,
por não ter combatido essa agressão crua.
 
Eu visitaria as prisões, onde como animais,
seres humanos são enjaulados, injustiçados,
responsabilizados pelas atitudes anormais,
de corruptos, de dirigentes acovardados.
 
Eu percorreria os corredores dos hospitais,
para deixar o meu afago aos desprotegidos,
que aguardam angustiados desfechos fatais,
sem os recursos, para outros fins dirigidos.
 
A cada mendigo eu daria um pedaço de pão,
ou o equivalente em centavos, por acreditar
que um deles poderia ser Jesus, cuja mão,
estendida, estaria o meu amor a mendigar.
 
Eu me encontraria com muitos empresários,
que se consideram cristãos, amigos meus,
homens de fé, dignos, outrora operários,
que não oferecem empregos a irmãos seus.
 
Finalmente, minha família , meu amparo,
meu esteio, eu reuniria e sem rodeios,
exporia meus erros, de um modo claro,
falaria de minhas omissões sem receios.
 
À minha esposa eu pediria que perdoasse,
a falha maior por ter colocado o emprego,
em primeiro plano, e a ela eu explicasse,
que num amanhã seguro haveria aconchego.
 
Lutamos muito, sofremos demais, vivemos,
com menos intensidade, o mais importante,
o amor, a entrega, única riqueza que temos,
corri em vão, envelheci, fiquei distante.
 
Adoecemos, choramos juntos, muito sofremos,
e agradeceria a Deus ter-me dado a chance,
de lhe pedir perdão, por amor sobrevivemos,
eu repetiria: te amo, seria meu último lance.
 
Às minhas filhas que não realizaram seus sonhos,
por ter sido um pai ausente, eu apenas diria,
eu fiz o que pude, nunca aceitei rostos tristonhos,
mas o pouco que fiz, valeu, eu tudo recomeçaria.
 
E de joelhos, numa prece contrita, eu agradeceria,
a Deus por ter me dado a existência, por conviver,
com sua obra, por saber que o perdão Ele me daria,
não importa a circunstância, minha razão de viver.
 
Fortaleza, 17 de setembro de 2006.

59- Se Eu Morresse Amanhã
Raquel Caminha
Lindinha
 
Seu morresse amanhã...
 
Hoje faria uma reunião e de véspera eu choraria,
sentiria uma dor enorme, da viagem sem volta,
todos meus entes e amigos, a saudade invadiria
não estou preparada para assistir  tanta revolta.
 
Se eu morresse amanhã...
 
Minha filhas sofreriam, meu marido talvez morreria
são vidas em comum lado a lado numa total emoção,
sempre vivo com grande risco de vida em cada cirurgia,
se Deus não me levou, dou graças a força do meu coração.
 
Se eu morresse amanhã...
 
Hoje estaria fazendo um poema de testamento,
deixaria para meus amigos virtuais, meu arquivo,
revelaria a senha, vocês leriam meu pensamento,
descobririam que foram amados, seria um lenitivo.
 
Se eu morresse amanhã...
 
Com certeza estaria nesse momento chorando,
por vocês, por ter magoado alguém, sem ocasião
de pedir desculpas, minha alma em lágrimas orando,
subiria  pesada, em prantos, pois estaria sem perdão.
 
Se eu morresse amanhã...
 
Eu morreria levando todos vocês no meu coração,
zelaria por cada um, sentaria na nuvem do sonho,
seria embalada pelo canto dos anjos a minha remissão,
dançaria, louvaria entre uma nota e outra um tom risonho.
 
Fortaleza, 17 de setembro de 2006

60- Si eu morre_si amanhã...
ZecAdi = josé de avelar

Nas tantas vidas que tive
foram elas todas morridas
nas tantas mortes que tive
foram todas revividas

em cada morte chegada
de cada vida vivida
parece ter sempre sido duro
o momento da partida

si em cada partida de_vida
foi sentida como sendo o fim
seria tão sem sentido
se saber para que vim

mas se cada fim de vida
deixou o amor de resquicio
cada fim ao invés de fim
será sempre o inicio

ninguém quer ir prooutro mundo
como quem aqui devesse
por isso está despreparada
pro "amanhã si eu morre_si"

inda mais se nessas vidas
se vividas coisas vãs
sempre tememos e quanto:
o "si eu morre_si amanhã"

e se o amanhã que tanto temo
fosse trocado pelo agora
estarei eu preparado
para essinesperada hora?

"Si eu morre_si amanhã"
seja o amanhã - quando for
quero viver - renascer
vivenciando o amor!

gaDs = graças a Deus sempre!

61- Se eu morresse amanhã
Tião Luz
 
Se eu morresse manhã
Por certo não gostaria,
Tão logo procuraria
Pela Direção do Céu...
E com as mãos na cintura,
Dedo em riste e boca dura
Despejaria o meu fel...
 
Pediria explicações
De tão súbita sacada
Sem me consultar em nada,
Nem saber o meu desejo...
Por certo inquiriria
A tão nobre autarquia,
Por tal ordem de despejo.
 
E enquanto não encontrasse
Explicações convincentes,
Motivos reais e fluentes,
Não iria sossegar...
E por essa discrepância,
Iria à última instância
Tentar tal lei revogar.
 
E se acaso não tivessem
Argumentos à altura,
Uma explicação segura,
Seria dura a parada...
Por certo logo em seguida
Sentença seria expedida:
“A morte foi revogada”.
 
Obs: Poesia registrada no CCB

62- Se...
Patricia Montenegro

Se amanhã o dia não nascer,
E o sol não aparecer,
Estarei tranqüila,
Porque eu fiz tudo aquilo que o coração quis,
Eu vi o sol nascer a cada dia,
E deixei que ele aquecesse meu corpo,
Andei pelas areias fofas das praias,
E permiti que as ondas do mar beijassem meus pés,
Eu vi o entardecer e o colorido do céu se despedindo do sol,
Eu me encantei com a lua e suas fases,
Enamorei-me das estrelas cintilantes,
Se amanhã o dia não nascer,
Saberei que eu aproveitei cada momento,
Plantei flores,
E senti o seu perfume,
Sentei-me embaixo das arvores e senti a sua sombra fresca,
Escutei os mais belos e diferentes cantos dos pássaros,
Tomei banho de chuva,
Rio e cachoeiras,
Senti a brisa acariciar meu rosto,
E corri atrás do arco-íris e suas cores,
Se não houver o amanhar,
Comigo levarei o sorriso das crianças,
E as mais belas melodias,
E saberei que sempre disse o que meu coração pediu,
Não escondi sentimentos,
E deixei o amor falar mais alto,
Dividi alegrias e tristezas,
Por meio de gestos e atitudes eu vivi,
Abracei e beijei,
Sorri e chorei,
Gargalhei e brinquei,
Se não houver o amanhã,
Saberei que tentei ser feliz,
Fui criança,
Menina e mulher,
A única coisa que não consegui fazer,
Foi ensinar você a viver isso tudo comigo,
Aproveitar o hoje,
Para se o dia não nascer...

63- Se Eu Morresse Amanhã
Naidaterra

Se eu morresse amanhã
partiria segundos depois
sem apegos e lamentações...
Essa vida é uma escola e
acho que aprendi bem a lição,
foram tantas perdas, tropeços
e aflições que viver mesmo é
construir sonhos para
gozar lá no além...
Na partida só uma coisa
me deixaria aflita, saber que
quem me ama vai sofrer...
Não chorem por mim que
vou é muito feliz encontrar o
meu povo e amores que
ja se foram a muito daqui...
Levarei desta vida somente o
que minha alma gravou,
recordações e sentimentos...
Deixarei aqui com vocês o que eu
mais tinha de bom, meu amor
e meu carinho e as lembranças de
alguém que por aqui passou...

Sampa

64- Se eu morresse amanhã
Denise  Figueiredo

Não levaria mágoas,
Nem tampouco rancores.
Deixaria saudades,
N' alma dos meus amores.

Pelo sim pelo não,
Se a ti eu magoei,
Por hoje peço perdão,
Pecado, não levarei!...

Das tristezas me livrei,
Para feliz eu cantar.
Quando a Deus encontrei,
Estava eu a pensar.

http://www.abrali.com/web/denisefigueiredo/
http://denisefigueiredo.blogs.sapo.pt/
http://www.guiavenceslau.com.br/coluna_denisef_index.shtml
http://www.recantodasletras.com.br/autores/denisefigueiredo

65- Se Amanhã Fosse Morrer
Maria da Fonseca
 
Se amanhã fosse morrer,
Eu não estava preparada.
Meus poemas por ‘screver!
Partiria contristada.
 
A versar o que me falta,
Assim hoje correria.
Os que são para os meus netos
E os que vão prà Academia.
 
E os dos amigos Poetas?
Como é que os prepararia
Pràs cirandas da Internet?
Como é que responderia?
 
E ao meu Amor que diria?
Meu querido, meu amado,
No paraíso te espero
Para estares sempre a meu lado.
 
Mas se eu amanhã morrer,
Implorarei ao Senhor
Que me deixe eternamente
Conceber versos de amor!

Lisboa, 17.09.06
http://geocities.yahoo.com.br/mariadafonseca2004

66- Se Eu Morresse Amanhã
Rose Arouck

Se eu morresse amanhã  deixaria
Um profundo vácuo na alma do mundo;
Pois levaria comigo todo
O amor profundo
Que eu ofertei e não quiseram aceitar.
Levaria também a indiferença
Galopando no dorso da minha crença
Que acredita, que a Terra, um dia irá mudar.
Irá comigo todos os meus sonhos
Na boca fechada, num esgar bisonho,
Espantada pelo fato de acabar...
Pois, se eu morresse amanhã,
Seria muito especial a minha partida;
Eu iria ainda com um resquício de vida
Sobrevoando-me por toda a imensidão.
E nessa viagem de morte
Decidiria deixar minha sorte
A quem fosse segurar o meu caixão.
A sorte de eu ter aprendido,
Que nesse mundo não só existe castigo;
Há a amizade que eterna ficará comigo
Na palavra calada que ecoará o perdão.

67- Se Eu Morresse Amanhã...
Regina Bertoccelli

Se eu morresse amanhã levaria comigo
fragmentos de uma vida feliz
Lembranças boas e momentos
inesquecíveis de  muitos anos
me acompanhariam na entrada
de um novo mundo
Os dissabores e as dores todas
deixaria abandonadas
em um canto qualquer...

Se eu morresse amanhã não gostaria
de deixar em minha escrivaninha
poemas inacabados
Pediria a Deus que me permitisse
passar a limpo minhas emoções finais
Ficaria feliz se ao enviá-las aos amigos
estes não a deletassem...

Se eu morresse amanhã faria de tudo
para que meus instantes finais
fossem memoráveis
Desfrutaria intensamente da companhia
de meus entes queridos
"Eu te amo" e "obrigada por tudo"
seriam minhas úitimas frases
antes do suspiro derradeiro...

http://www.recantodasletras.com.br/autores/regininha

68- Se Morresses amanhã...
Maria Mercedes Paiva

Se morresses amanhã, mãezinha,
com certeza eu ouviria
o coral de anjos, que te viessem buscar
e contrita eu imploraria,
que a deixassem ficar!

Porque se morresses amanhã, mamãe
a saudade incontida
já começaria a me atormentar!
E, dentro dos teus olhos
eu te procuraria e te pediria
para não me deixar!

Se amanhã tu morresses
eu não mais saberia
olhar os encantos das coisas,
que só tu sabes me mostrar.
E as coisas todas somente seriam
as coisas todas, em seu próprio lugar!
E as flores que tanto te encantam...
Para que, refloresceriam,
se teus olhos, que as amam,
nãos as amariam ?
E, se tu morresses,
a quem eu leria as minhas poesias,
que te fazem me admirar?
A quem? Se a casa vazia de ti, estaria
e somente a dor, comigo,
viria morar?

Se morresses amanhã, mãezinha
os meus olhos ficariam tão tristes,
pois inútil seria meu riso,
que não encontraria
a meiguice do teu olhar!

Se tu morresses amanhã,
e ficasse vazia a poltrona,
em que costumas sentar,
minha dor nela sentaria
e não mais saberia como se levantar!...
Ficaria doendo essa dor de saudade!...
Essa dor de amor, que é tão grande,
que até hoje eu não soube,
ele todo, mãezinha,
te dar!

Eme Paiva
17.09.06

69- Se Eu Morresse Amanhã...
Jamaveira

Nada deixaria...
Os rastros levariam ao nada
Todos foram apagados
Conforme a vida avançava.

De concreto
No frio mármore da tumba
Apenas um poema gravado
“Fim”

17.09.06
João Pessoa - PB
www.recantodasletras.com.br/autores/jamaveira

70- Se Amanhã eu Morrer
Natália Vale
 
Se amanhã eu morrer,
Peço-vos que não chorem,
Porque me cansei de viver…
Nesta vida cruel e dura,
Que magoa e faz doer.
 
Partirei com a sensação
De missão cumprida,
E com a emoção
De entrar numa outra vida,
Onde entes queridos,
De braços abertos me virão receber.
 
O que tinha de fazer,
Fiz…
O que tinha de andar,
Andei…
O que tinha de ofertar,
Ofereci…
O que tinha de amar,
Amei…
 
Entrarei numa nova vida,
Sem guerras nem invejas,
Sem hipocrisias nem fantasias,
Sem traições nem desilusões,
Uma vida serena e calma
Em que encontrarei Felicidade,
Rodeada de Luz e Amor
Num novo plano, o da Eternidade.
 
Portugal_18.09.2006

71- Se eu morresse amanhã...
Arlinda Lamêgo
 
Se eu morresse amanhã
Por certo teria mais um dia,
E mais alguns minutos e horas
Para falar com Deus.
Para colocar tudo a limpo.
Fazer balanço, ver perdas e danos,
Lucros e investimentos errados.
Por certo daria uma festa,
Reuniria minha família e amigos,
Sem me despedir.
Distribuiria meus bens mais queridos
Meus livros e escritos.
Pediria perdão, perdoaria.
Ficaria quieta para ouvir música
E fazer oração.
Agradeceria a Deus a dádiva
Por ter nascido, por ter vivido.
Relembraria os   momentos que amei.
Recordaria a praia, banhos dourados de sol.
Sentiria em mim a alegria das estrelas,
As noites de luar, a espuma do mar.
Abençoaria cada pedacinho que vivi,
As lágrimas que chorei, cada amanhecer
Que me trouxe uma nova chance.
Sem pressa esperaria a hora prometida,
Mas nunca anunciada.
Se eu morresse amanhã, morreria feliz

72- Se Eu Morrer Amanhã
Luiza Porto

Se eu morrer amanhã
não quero flores,
quero a lembrança viva
no coração de meus amores.

Se eu morrer amanhã
não quero lágrimas,
quero sorriso no calor
de rosto amigos.

Se eu morrer amanhã
quero música alegre,
cheia de sentimentos nobres
a toca na alma de meus amados.

Se eu morrer amanhã
quero poesia, em versos
e prosa, pode ser sem métrica
mas a falar do amor.

Se eu morrer amanhã
quero danças, crianças e cores
um arco-íris feito da beleza da vida.

73- Se eu Morresse Amanhã...
"A Poetisa dos Ventos”
Deth Haak

Se eu morresse amanhã um pássaro choraria
lastimando a precoce partida da poesia
versos perderiam rimas a inspiração morreria
se ouviria em torno do corpo só hipocrisia!
 
O que os olhos meus tentassem fechar se irritaria
Pois eles insistiriam seguir abertos na heresia
De enxergar a vida além da morte a quem diria
As mãos que esse corpo tocasse na prelazia...
 
Se eu morresse amanhã, o vento sopraria...
Como sopra num agosto qualquer a ventania
e os fortes galhos da embira que a mim queria
balouçariam descontentados gemendo agonia...
 
Pressentindo a falta do enlevo que a morte calaria
O enaltecer dum sopro vivenciado na harmonia
Das arestas semeadas a Orfeu na confraria
Em notas doces poetadas na atrativa sinfonia...
 
Se eu morresse amanhã, meu fazer não saberia,
Se querer flores ou poesias atiradas na primazia
Dos poetas, que sentiriam no adeus aquém daria,
Meus restos atirados, nas lousas ou na maresia?
 
Na encomenda do corpo que creu em vida
Não morrer o poeta e tão pouco a poesia
a canção lacrimada nas faces, verteria atrevida,
Posto que se morresse amanhã, teria sobrevida!

17/9/2006

74- Se eu morresse amanhã
 Kátia Lessa

Se eu morresse amanhã...
Deixaria tantas coisas por fazer
tantos desejos reprimidos
tantos carinhos não recebidos
tantos abraços não dados
tantas coisas não ditas...

Se eu morresse amanhã...
levaria lembranças queridas
saudades sentidas
amores perdidos

Se eu morresse amanhã...
levaria alegrias passageiras
risadas gostosas
amores vividos
cheiros e sabores de infância
amizades profundas
carinhos muitos
e a enorme vontade de ter vivido mais!

Belo Horizonte - 18/09/06

75- Se eu morresse amanhã
Marilda Conceição

Se eu morresse amanhã
levaria muita saudade e doces lembranças,
mas  partiria com serenidade.
Dentro de mim a tranquilidade
de saber que nesta vida sempre fiz o bem,
sem me importar a quem.
Deixaria como herança
a dignidade, a bondade, a solidariedade
e o maior de todos os tesouros:
o amor que sempre em meu coração semeei.
Deixaria como recordação
em forma de poesia,
todo meu sentimento,
porta voz do meu coração.
E quando no infinito eu chegasse,
já nos braços de Jesus,
enviaria a todos muita paz e luz.

18/09/2006

76- Morir mañana
Cristina Oliveira

Si yo tuviese que morir mañana,
escribiría con luces de la aurora
el ultimo poema que te implora,
sea en tu recuerdo como flor temprana.

Sin que el tiempo que todo lo profana,
pudiese borrar esa mi ultima hora
donde un latido de amor te incorpora,
su sentimiento eterno...Que mana.

Tan solo para darte mucho amor,
con todo lo mas bueno de la vida,
detrás de una leve separación;

Corporal donde se acabe el dolor,
para comenzar nada que divida,
los hilos que unen, nuestro corazón.

U S A

Morrer amanhã
Traduzido Por Gislaine Canales

Se eu tivesse que morrer amanhã,
escreveria com luzes da aurora
o ultimo poema que te implora,
seja lembrança como flor- manhã.

Sem que o tempo que tudo profana,
pudesse apagar essa minha última hora
onde um latido de amor te incorpora,
seu sentimento eterno...Que emana.

Tão só para dar-te muito amor,
com tudo o mais belo da vida,
atrás de uma leve separação;

Corporal onde se acabe a dor,
para começar nada que divida,
os fios que unem, nosso coração.

77- Certeza do Agora
Fernanda Pietra

Se soubesse que morreria amanhã,
Deixaria de viver as angústias do hoje,
E saborearia mais as alegrias,
Sim, aquelas que estão nas coisa mais pequenas
E que sempre fazemos questão de não perceber.

Deixaria as preocupações para fora da minha cabeça,
Dormiria um sono mais gostoso
Seria mais egoísta
Pois seria meu último dia de vida, o hoje.

E ser egoísta, às vezes é necessário
Porque deixamos, muitas vezes de viver
Para satisfazer alguém  ou uma situação
Enfim, creio que deixaria a casa cair
Chutaria o balde, o pau da barraca
E que o mundo se desmoronasse
Então, como estou viva, neste momento,
Vou fazer tudo isso, agora,
Pois amanhã não sei se estarei viva.

78- Apenas Adeus
Avany Morais

Se amanhã eu partir, não chorem por mim...
Lembrem-se apenas que sobrevivi
a tudo que me foi imposto...
Sobrevivi a um tempo, que me foi muito especial...
Vivi intensamente... Fiz algumas escolhas.
Não posso dizer se certas ou erradas.
Isto só o tempo é quem vai poder mostrar.
Mas pelo menos, posso com certeza afirmar,
que na maioria delas eu acertei em cheio.
Nasci... Cresci... Vivi...
Como todo ser humano, me apaixonei...
Amei em todos os sentidos...
Fui amada... Odiada...
Cativei tantas almas lindas...
Pessoas maravilhosas que por mim passaram...
Amigos... Amores... Filhos...
Plantei minha semente no mundo,
através dos filhos que nele coloquei.
Procurei preencher os vazios que encontrei
pelos caminhos por onde passei.
Mas muitas lacunas ficaram abertas...
Para serem repensadas e quem sabe reaproveitadas.
Já vivi tantas vidas!... Esta não será a última!
Pode ter certeza, sempre recomeçamos.
Hoje na perplexidade dos tempos, me basta
na incerteza do meu dia-a-dia, viver...
Aproveitar cada segundo...
Me entregar de corpo e alma,
a tudo que faço, e a tudo que amo.
As vezes, ao dormir,
fico com receio de não mais acordar.
Se terei mais um dia para com o amor ficar?
Para de amar brincar?...
De rever os amigos?...
As pessoas que amo?...
Os filhos, parte do meu todo?...
O próximo dia?
Deixe que venha...
Se não vier...
Peço apenas que de mim,
pelo menos de vez em quando,
com carinho se lembrem...
Pois a única coisa que posso dizer,
é que saudades levarei.
Mas não podendo ficar,
apenas um adeus restará.

22h51min_27.03.04

79- Se Eu Morresse Amanhã ...
Elisa de Andrade
 
Deixaria o mundo com tristeza
Pois apesar de tanta incoerência
Ainda existe a esperança e certeza
De ter algo de bom nessa existência!
 
O mundo se desenvolve rapidamente
E isso traz mudanças irreversíveis
Algumas boas e outras ... infelizmente
E elas muitas vezes não podem ser compreensíveis!
 
A vida merece ser bem vivida
Com Amor, dignidade, amizade e coragem
Para que quando chamado desta vida
Não se tenha saudade desta viagem!
 
Petrópolis _ RJ
http://geocities.yahoo.com.br/casasaudavel
http://geocities.yahoo.com.br/amigosempoesia

80- Vida
Machado de Carlos

Guardo a tua imagem, a razão da vida
Dos amores, o teu nunca chega ao fim
Estás entre flores: - Meu tudo, enfim
Tu és mensagem, o meu pote de vida.

Sugo-te!... Que sinfonia! O som da vida!
Vivo num arpejo, só para mim
Vejo-te entre nuvens: - És anjo, sim
A clarear o meu dia, a força da vida.

Brilhas este andante! A cor da vida!
Tornei-me ébrio cantante (fiquei assim...),
Desnorteado e com fôlego no fim
Fui premiado! Reflexo de tua vida!

...Forças vitais voltadas para mim!
Oh! dias desiguais! Recobro a vida!...

Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=194

81- Se eu morresse amanhã...
Regina Coeli Rebelo Rocha

... seguiria em viagem,
levando como bagagem
encontros e despedidas,
doces afagos, horas doídas...
Dos encontros, os abraços
enfeitados com fitas e laços;
das despedidas, a saudade
nas lembranças sem idade...

Se eu morresse amanhã,
 decerto também levaria
as ilusões fugidias,
os sonhos desfigurados...
... e os novos desejos alados...
Pra trás ficaria  o corpo frio...
... e a alma, cheia de brio,
continuaria a buscar o que soa insondável 
e distante, na senda do improvável...

Se eu morresse amanhã,
iria feliz... Afinal,
tentei não repetir o igual...
Trilhando meus próprios caminhos,
alimentei-me de meus póprios desalinhos...
Se eu morresse amanhã,
 creio morreria de mim só uma parte...
Se a cada dia renasce a Arte
e se obra do Artista eu sou,
a morte é só um detalhe;
findo o corpo, fica-lhe o talhe...

Rio de Janeiro (RJ)

82- Se Eu Morresse Amanhã...
Socorrinha Castro / florzinha

Se eu morresse amanhã,
antes mesmo de partir
desceria lá do céu,
um côro suave de anjos
cantando prá eu dormir.

Me acolheriam em suas asas
macias e iluminadas,
e nelas me levariam
prá minha nova morada.

Se eu morresse amanhã,
da Terra eu levaria
cada semente de amor
que na vida eu plantei,
e se transformarão em frutos
que ao lado de Deus colherei.

Das flores que aquí semeei
e que em belas rosas desabrocharam,
suas pétalas macias e perfumadas
usarei como travesseiro de repouso
na minha nova jornada.

Se eu morresse amanhã,
com certeza levaria
saudades dos que na Terra,
alegraram os meus dias.

Se eu morresse amanhã,
conversando com o bom Deus
um pedido eu Lhe faria :
-Senhor, podes me dá um novo nome?
Aquí no céu, deixa eu ser
uma flor chamada Poesia !!!

JP - PB_18/09/06
www.socorrinhacastro.com.br

83- Se Eu Morresse Amanhã
Fátima Mello

Se amanhã eu soubesse que partiria
Procuraria mais e mais,
sorrir...amar...me doar...
Prestaria mais atenção:
no mar...
no olhar tranquilo
de quem muito ja viveu.
Adimiraria mais o entardescer;
olharia o céu vazio de nuvens
em dia se sol forte.
Veria a beleza da flor desabrochando
dançaria...cantaria..
te encontraria...
queria de teu amor me fartar...
Se soubesse que é meu último dia,
Diria:
vou mas volto,
pra viver tudo de novo,
só que com muito mais maestria,
regiria minha vida...
E de ti com certeza
não me perderia.

Bagé/RS

84- Se Eu Morresse Amanhã
Antonio Manuel Martins Miguel
Amiguel

Imagina,
Jamais podias ser minha!
Se eu morresse amanhã.
Podia ser pela manhã
Ou ao anoitecer,
Sem te ter!
Se eu morresse amanhã
De madrugada
Estarias acordada
Talvez.
Mas não haveria outra vez.
Mas eu  morrer amanhã,
Porquê?
Se no destino tudo se vê.
Se eu morrer amanhã
Esvoaço no espaço,
Sem cansaço.
E tu ficas nessa ausência fora d' horas,
Não chores.
Se eu morrer amanhã,
É pura ilusão!
Fico no teu coração.
Se eu morrer amanhã,
Eu não partirei,
Permaneço em ti,
Porque sempre te amei.
Se eu morrer amanhã,
Mantém a esperança
Pois estarei sempre contigo.
Se eu morrer amanhã,
Serei o teu Anjo da Guarda
Que te aguarda.
Feliz,
Como um petiz.
Se eu morrer amanhã
Não chores,
Não implores.
Se eu morrer amanhã,
Estarei no espaço.
Eu te espero,
Mas não desespero.
Tu, cumpre a tua missão.
Abre o teu coração.
Olha pelo teu irmão.
Luta, por um Mundo melhor.
Se eu morrer amanhã,
Completa-me.
Ama-me.
Não me abandones.
Se eu morrer amanhã,
Estarei sempre contigo.
Seremos um só.
Não tenhas dó,
Mesmo que eu morra amanhã!

18/09/06

85- Se eu morresse amanhã...
Maria Granzoto da Silva

Se eu morresse amanhã,
morreria sorrindo!
Não daria adeus.
Não gosto que me vejam partindo
sem ao menos um abraço aos meus!
Morreria assim,
como um sol se pondo
para nunca mais amanhecer!
Morreria sem pena de mim,
mesmo estando me expondo
em saber
que o sol nunca mais brilharia,
que a lua não mais eu veria...
Se eu morresse amanhã,
queria apenas a chuva miúda caindo
feito pétalas de lindas flores,
de todas as cores...
a minha tumba cobrindo!
Se eu morresse amanhã,
sem nenhuma maldade,
deixaria, só  prá você,
a minha eterna saudade!

20-09-06

86- Se eu morresse amanhã
Vyrena

Se eu morresse amanhã,
o dia de hoje aproveitaria
para ser feliz
de qualquer maneira.
Familiares e amigos reuniria,
até mesmo alguns desagravos,
para uma festa sem igual.
Acharia graça de piadas sem graça,
abraçaria a todos e entoaria
canções de amor.

No fim da noite,
já a sós comigo mesma,
a deus, perdão, pediria
pelos pecados meus.
E assim, tranqüilamente
no trenó da morte embarcaria
e por ele seria levada
para os confins do desconhecido.

87- Se Eu Morrer Amanhã
Muriel Elisa Távora Niess Pokk

Se eu morrer amanhã,
irei em paz,
com a certeza do dever cumprido.
Se eu morrer amanhã,
irei feliz, por ter vivido,
em toda plenitude, meus sonhos.
Se eu morrer amanhã,
morrei feliz por ter amado
com todas as forças do meu coração..
Se eu morrer amanhã,
partirei sem relutar.
Reencontrarei o meu amor,
e com ele vou ficar.

88- Se eu morresse amanhã
Priscila L. Coelho

Se eu morresse amanhã, queria que os pássaros cantassem
Que houvesse sol e a brisa fosse perfumada
E que meu jardim estivesse florido
Se eu morresse amanhã, gostaria que os amigos falassem
Que mantive em vida a alma apaixonada
E que só lamentei o tempo que passou perdido

Se eu morresse amanhã ou quem sabe até hoje à tarde
Talvez causasse algum espanto
No entanto, saberiam que eu fui  em paz
Se eu morresse amanhã, morreria sem alarde
No máximo desejaria um canto
Que soasse como fundo ao constatarem: agora a Cill aqui jaz!

89- Se Eu Morresse Amanhã
Pilar Casagrande
 
Sei que desço na escala da vida
E que posso morrer amanhã,
Mas não vou afinar a minha lira
Pelo molde impiedoso dos relógios.
O tempo gera e o tempo cria,
O tempo nutre e o tempo cura,
O tempo exalta, envelhece e mata...
Meus versos desdenham a marcha dos ponteiros.
Enquanto todos os relógios deste mundo
Devoram os momentos
E envelhecem os calendários,
Sacrifico ao altar fecundo das quimeras
O estóico ritual da poesia,
Pois sei que passarei e ela ficará...
 
Rio Claro / SP

90- Chegada
Suzy Lima

Se eu morresse amanhã
Estarás à minha espera,
Em meio a um vale encantado
Como nos livros  e novelas?
Acaso estarás sorrindo
Ao lado de um lago tranqüilo
A me abraçar dando boas vindas?
Será que nossas almas terão o direito
De mais uma vez caminharem juntas
Por entre canteiros floridos
Abençoadas por anjos de luz?
Se eu morresse amanhã
Nosso amor se tornaria novamente
Pleno, completo, universal?
Se isso tudo pode acontecer,
O que faço eu aqui
Sem você?
 
http://suzy.lima.fotoblog.uol.com.br
http://poemasmusicais.nafoto.net
http://poemasescorpianos.nafoto.net

91- Se Eu Morresse Amanhã
Laura Limeira
 
Recuso-me a pensar em morrer
Por amor imenso à minha vida
E se não fosse assim que eu pensasse
Nada faria sentido, nem mesmo a lida!
 
Porisso, se amanhã eu não mais acordar
Deixo tudo nas mãos de Deus
E que seja feita a Sua vontade
Enquanto vou escrevendo os versos meus...

Recife/PE/Brasil

92- Se Eu Morrer Amanhã
Victor Jerónimo
 
Se eu morrer amanhã
Não me tragam flores
Volteiem e dancem com alegria
Pois enfim meu sofrimento terminou.
 
Se eu morrer amanhã
Recordem em mim o belo
Pois assim fica todo o que morre
"Era tão boa alma"
 
Se eu morrer amanhã
Deixem minh'alma sossegar
Não me recordem
 
Pois se em vida, não tive direitos
Em morto, sossegado quero ficar
Se eu morrer amanhã...

93- Partida
Gleici Keli Soares.

Sempre me pergunto: será que estou preparada?
O que tenho feito diariamente.
Talvez a qualquer momento possa dormir.
Ficarei gelada e não mais estarei perto daqueles que amo.
Sei que ninguém escapa desse dia assustador.
Sejam os ricos ou os pobres, todos irão um dia passar.
Quando vejo flores e sinto o cheiro bom e torturante
Imagino que amanhã ou a qualquer momento posso adormecer.
Se for amanhã quero viver o  hoje.
Quero abraçar todos que amo e dizer isso a cada um.
Irei passar a noite orando e admirando a lua e as estrelas.
No amanhecer irei a lugares que não fui por medo.
Mas se a partida for hoje?
Talvez dormirei sem cumprir tudo que desejei por medo ou ignorância.
Não visitei certos amigos por falta de tempo e dinheiro.
Será que irei sem dizer o quanto amo cada um e a importância deles pra mim?
Se por acaso amanhã adormecer  quero rosas vermelhas.
Coloquem-me  roupas brancas.
Sei que  aterroriza, agoniza mas é o doce descanso.
Oh! Morte quando vier avise antes.
Não me deixe  partir sem dizer adeus e fazer a última poesia.
Não torture tanto, leve sem demora.
Sei que a qualquer passo tudo pode mudar e a vida aqui acabar.
Quero ir com a certeza de que vivi o suficiente e cumpri a missão.
Descansar com o orgulho de um soldado e o sorriso de uma criança.
Quero apenas dormir em paz.

94- Se eu morresse amanhã...
Maurício Santanelli

Se eu morresse amanhã, por certo deixaria ainda muitas coisas a fazer...
Mais isso com certeza acontecerá também se eu morrer bem mais adiante...
Por isso procuro de cada minuto da vida, poder estar sempre a sorver...
O maior prazer, algum novo ensinamento, e ser do amor, um buscador incessante...

Nossa tarefa aqui nos parecerá sempre incompleta, inacabada...
É desses desejos e sonhos que nossa vida se realimenta...
A vida é para ser a cada momento mais do que curtida, reverenciada...
É mister saber admirar as inefáveis belezas que a natureza nos apresenta...

E são tantas e tamanhas, que muitas vezes a pressa nos impede de perceber
Desde os desenhos nas nuvens até os desenhos nas asas de um pequeno inseto
Poder ofertar amor é sempre mais prazeroso até do que o ato de amor receber
Saber acolher, dedicar a quem de nós a vida aproxima, atenção, carinho e afeto.

E como disse o saudoso Quintana, não devemos estar as borboletas a perseguir...
Mas sim cuidarmos de nosso jardim, para torná-lo sempre vistoso e florido...
Dessa forma elas sim, até nós sentirão um enorme prazer em vir...
Este é o real segredo da vida que lhe colore e que lhe dá verdadeiro sentido

Nossas marcas estarão gravadas nos atos praticados e nas palavras proferidas...
Nas árvores por nós plantadas nos filhos que geramos e procuramos educar...
A esperança de que eles prosseguirão semeando o amor e a paz em suas vidas...
Faz com que eu encare o morrer amanhã, apenas como um prazeiroso descansar!

 

 

 

Voltar ao Menu "Ciranda de Poetas"

Principal

Assinar o Livro de Visitas